domingo, dezembro 26, 2004

Despojos de um Natal em família

Sobrevivi!
Como vos disse o 24 foi muito simples e sem menções natalícias. Jantei em casa com o meu amigo João. Deitei-me cedo. Quando o meu companheiro chegou do jantar com os pais perto das dez e meia, já eu dormia. Estava cansado e tinhamos que acordar cedo no outro dia!
E assim foi. Às seis da manhã de Sábado estavamos acordados e às oito o João estava a tocar à campainha. Os meus pais esperavam-nos para pequeno-almoçar...
Não encontrámos mais de 20 carros nos duzentos e tal kilometros que percorremos. Foi uma viagem calma ao som de um CD em homenagem ao Carlos Paredes que ofereci ao João.
Todas as comemorações natalícias em casa dos meus pais correram muito bem. Há muitos anos que não tinha tido um Natal tão calmo, tão bom. O meu pai esqueceu um bocadinho o preconceito e tratou o meu companheiro como uma pessoa normal. Fizémos as refeições todos juntos, como uma família. Espero que não tenha sido só um esforço natalício. Todos ficamos a ganhar. Todos ficámos surpreendidos.
Comemos, comemos e comemos... a minha mãe tinha sempre a mesa posta. Ora eram as refeições ora eram os doces... A lareira esteve sempre acesa - que consolo! - e o calor humano também foi grande!
O meu amigo João também deve ter gostado. Tanto dos petiscos da minha mãe como de passar um Natal mais familiar.
Foi engraçado.
De volta a Lisboa, a vida must go on e toda esta azáfama teve só algum significado porque, segundo parece, o meu pai deu um passo em frente. Vamos ver se não recua... Tenho as minhas dúvidas mas também tenho alguma Esperança!

1 comentário:

lena disse...

querido :)*