segunda-feira, fevereiro 07, 2005

Árvores

"Eu gosto de árvores."
Assim começa a crónica de Francisco José Viegas na revista Volta ao Mundo de Fevereiro.
Eu também gosto de árvores. Pelas mesmas razões.
Concordo que os portugueses não dão valor ás árvores. Não as amam. Não as vêem como monumentos. Eu acho que são monumentos. Acho-as bonitas como uma catedral.
Os ingleses gostam de árvores e eu, também aí, me identifico com eles. Na BBC Prime dá de vez em quando um programa chama "Great Trees". Esse é um programa que não teria muita audiência em Portugal.
Quem é que se interessa pelo Salgueiro que inspirou Kenneth Grahame a escrever o livro "Wind in the willows"? Só mesmo os ingleses... e eu.
Na mesma crónica da Volta ao Mundo, Francisco José viegas conta que em Bali há um grande jardim botânico onde as famílias vão, sentam-se, rezam, comem, brincam e vêem as árvores. Não é uma imagem pacífica? Há quanto tempo, ou melhor já alguma vez foram ao Jardim Botânico de Lisboa?
Eu, quando viajo, visito sempre os jardins botânicos das cidades. Lembro-me por exemplo do Jardim Botânico de Tenerife, onde fiquei no Hotel Botânico, mesmo ao lado do jardim (eu diria mesmo dentro do próprio jardim), recordo também o Jardim Botânico de Nova York, onde fugi a meio da viagem para descansar da cidade gigantesca e recuperar energias, e todos os jardins em Inglaterra, onde me falta visitar o Eden Project.
Em Portugal também há árvores bonitas. Em Sintra temos árvores fantásticas. No jardim Botânico de Coimbra, no Alentejo, no Norte. A minha árvore favorita portuguesa é a Ficus do Jardim das Lágrimas em Coimbra. Foi lá que tirei a minha foto favorita.

Sentado nos Pilares da Terra
No meu Blog dedicado às coisas verdes,
vou escrever algumas palavras sobre
àrvores que vou encontrando no meu caminho.

2 comentários:

lena disse...

então és tu! :)

Draco disse...

yep
;-)