segunda-feira, março 21, 2005

Apetece-me cantar!...

Aguaceiro

Passou aqui uma nuvem
Com o formato de um anjo
E cantou no meu alpendre
Aguaceiro de harpa e banjo

A seguir veio outra nuvem
Mais cinzenta e apressada
E deixou no meu alpendre
O cheiro da terra molhada

Depois vieram mais duas
Como flocos de algodão
Derramaram sobre as ruas
O resto de uma canção

Aguaceiro, aguaceiro
Trazes chuva de manhã
Nesse ritmo certo e brando
Podes cair todo o dia
Se parares de vez em quando

Depois veio a clave de sol
E pôs fim ao aguaceiro
Levantou-se o girassol
Sorrindo para o limoeiro

Depois foram pra nordeste
Cantar noutra freguesia
E tudo o que ficou foi este
Bocado de melodia

Cantou chuva já sol posto
Nas varas da minha umbrela
Veio salpicar meu rosto
E eu até cantei com ela

Aguaceiro, aguaceiro
Trazes chuva à meia-noite
Para cantar na vidraça
Podes cantar toda a noite
Que eu até te acho graça

Letra: Carlos Tê
Música: Rui Veloso
In Aguaceiro, Lena d’Água 1987

Retirado d'aqui.

1 comentário:

lena disse...

boa ideia!
(para descansar da foto e enquanto não ponho o livro online ;)

sempre o procuraste?
páscoa feliz!**