sábado, agosto 27, 2005

Dissertação sobre Capas de Livros

Ontem estive na Fnac. Gosto de ir às Livrarias e ficar a andar de expositor em expositor a dar uma vista de olhos pelos livros expostos, leio uns resumos, vejo as capas... é todo aquele ambiente cheio de livros que me atrai, o cheiro do papel, as conversas sussuradas e até as pessoas que por lá se encontram.
Gostos.
Entretanto passo sempre pela secção infantil porque gosto de livros infantis e também pela secção de livros em inglês.
Vocês já repararam nas capas dos livros em inglês?
São capas tão atractivas! Porque é que os outros países não se regem pela mesma qualidade de capas que têm os livros ingleses e americanos! Será que iamos aumentar as leituras se as capas fossem mais cativantes?
Em Inglaterra, perco-me nas livrarias. As lojas são acolhedoras, os livros são atrentes. Com boas imagens, boas fotografias. Cá, em regra geral, é uma pobreza!
Mas já foi mais! Agora temos os livros que foram adaptados para o cinema que, por razões de marketing, ficam com o cartaz do filme como capa. Mas temos já algumas (poucas) editoras que parece que se preocupam com a qualidade da capa. Muitas obras ficam até com as capas iguais às originais.
Em Portugal a Editora que me vem à cabeça pelo mau gosto em capas de livros é a Editorial Caminho. Aquilo é uma tristeza e uma pobreza que não lembra a ninguém. Capas sem sal. Lembro-me quando o Saramago ganhou o prémio Nobel que muitas livrarias fizeram escaparates ou montras só com os livros dele e... era tão entusiasmante como ver a relva crescer!... Uma carrada de livros de capa amarela que mais instigava à preguiça do que à leitura! Comprei nessa altura uma tradução do Memorial do Convento (a única obra que li desse autor) para oferecer a um amigo inglês e fiquei admirado com a capa bonita que tinha... porquê então para nós aquelas "coisas" minimalistas e sem apresentação nenhuma?
E depois os ingleses tem as capas duras e as de papel mais fino, as edições de luxo, as edições de bolso. Porque é que nós não temos capas duras? Poucos são os livros que tenham as duas versões. Cá temos aquelas capas duplas que estão sempre a escorregar e que me irritam bastante! Porquê? Isto tem a ver com poder de compra, habitos de leitura, cultura dos países... porque é que será?
Os livros não deveriam ter sempre as mesmas capas, escolhidas pelos autores? Eu sou pelos livros com capas bonitas!

2 comentários:

Vera disse...

Eu também sou pelos livros com capas bonitas e trabalhadas. A capa é um elemento paratextual que não deve ser descurado, uma porta de entrada para o universo que o livro apresenta que não deve ser preterida a fim de tornar o produto livro mais barato.
As edições inglesas são, sem dúvida, muito mais bonitas. Mas Portugal também já esteve pior. Concordo com o exemplo da Caminho mas, no extremo oposto, gosto muito do trabalho que a Editora Cavalo de Ferro dá aos seus livros. E é apenas um exemplo de uma editora que, além de ter títulos de excelente qualidade, valoriza bastante o aspecto do livro.

jazzwoman disse...

Concordo totalmente com o post!
Também eu me perco nas livrarias, sou capaz de passar horas a olhar, tocar todos aqueles livros apeteciveis mas que nem sempre posso levar para casa.
Ultimamente tenho optado pelas edições inglesas de bolso. São sem dúvida muito mais fáceis de transportar e como eu gosto de "carregar" sempre um livro comigo...
Por outro lado ao lermos no original percebemos como muitas vezes as traduções são mal feitas.
O meu filho de 14 anos começou agora a ler versões originais e até ele já se apercebeu do mesmo!
Como eu gostava de o levar a Londres e passear com ele naquelas livrarias fantásticas que nos fazem ter que comprar uma mala extra quando voltamos!!
As capas...com algumas excepções não são realmente muito apelativas para quem não tem a leitura como um hábito. Para nós, amantes do livro é um pouco indiferente mas sem dúvida que poderiam captar a atenção de mais gente e quem sabe criar mais hábitos de leitura especialmente nos mais jovens que hoje em dia pouco ou nada lêem...felizmente "tenho" uma excepção em casa ;)