quarta-feira, março 30, 2005

"Birth", the film

(Tinha este post editado há uns dias mas não sei o que se passou e não apareceu aqui nada.)

É um filme muito estranho. Não gostei.
Fomos ver este filme antes da viagem e não era um filme assim que eu estava a precisar de ver. Uma história complexa e mal contada pelo realizador.
Planos estranhos e cenas que podiam ser cortadas.
Outra coisa que me irritou foi estarmos a ver constantemente o microfone na parte superior do écran.
Salvam-se as interpretações do miúdo. A Nicole Kidman já esteve muito melhor em outros filmes. E salva-se a essência da história.

terça-feira, março 29, 2005

Coisa mai' linda!!!

Digam lá que esta cara marota não é a coisa mais linda!!!
Esta cadela é uma perdição!
A minha fiel amiga... Wendy!

Tenho a Wendy há cerca de 2 anos. Veio para a minha casa com 2 meses e meio. Desde essa altura que está praticamente sempre comigo. Acostumou-se a dormir na minha cama, de manhã vem comigo para a loja e aí permanece comigo o dia todo cumprimentando os clientes! (é a minha relações públicas).
Nunca quis um cão em Lisboa até poder não a deixar fechada em casa. Todo este tempo que está comigo tornou-a uma "pequena pessoa".
É indiscritível a amizade / dedicação que esta cadela tem a mim e ao meu companheiro.
E esta foto, tirada na casa dos meus pais no último Natal, está muito engraçada pois mostra o ar travesso dela.
Para quem não conhece a Wendy é uma West Highland White Terrier.
Podem ler aqui o Blog da Wendy. Uma piada que fiz para os clientes da minha loja e para os seus fãs caninos e humanos!

sexta-feira, março 25, 2005

Folares da minha mãe

Ontem recebi pelo correio uma caixa com dois folares feitos pela minha mãe. Desde que me conheço que a minha mãe faz folares nesta época da Páscoa. Este ano não foi excepção!

O sabor do folar faz-me sempre lembrar quando eu era pequenino, tipo 6-7 anos, e a minha mãe me deixava acordar às seis da manhã para ficar a vê-la a fazer os folares. Na noite anterior a minha mãe amassava os ingredientes e deixava a levedar durante a noite. Na madrugada seguinte, 5-6 da manhã, começava a fazer os folares e para mim era uma emoção levantar-me cedo e ficar, de roupão, sentado à mesa da casa de jantar a assistir a todo um ritual de fazer os folares da Páscoa.
Amassar a base, colocar o ovo cozido com cascas de cebola para adquirir uma cor amarelo torrado, rodear o ovo com uma tira de massa e colocar as tranças!

Não me lembro quantos anos assisti a todo este processo.

Não há outros com o sabor igual aos folares da minha mãe.

quinta-feira, março 24, 2005

Semana Science Fiction

Está a decorrer a semana da ficção científica cá em casa, em DVD.
Estamos a ver...

Batlestar Galactica - The Mini Series
Stargate Atlantis Season 1 - Vol. 1

terça-feira, março 22, 2005

Um Abraço

Por vezes não vos apetece um abraço fofinho e reconfortante?


Fountains Gate - Hyde Park, London
Março 2005

segunda-feira, março 21, 2005

Apetece-me cantar!...

Aguaceiro

Passou aqui uma nuvem
Com o formato de um anjo
E cantou no meu alpendre
Aguaceiro de harpa e banjo

A seguir veio outra nuvem
Mais cinzenta e apressada
E deixou no meu alpendre
O cheiro da terra molhada

Depois vieram mais duas
Como flocos de algodão
Derramaram sobre as ruas
O resto de uma canção

Aguaceiro, aguaceiro
Trazes chuva de manhã
Nesse ritmo certo e brando
Podes cair todo o dia
Se parares de vez em quando

Depois veio a clave de sol
E pôs fim ao aguaceiro
Levantou-se o girassol
Sorrindo para o limoeiro

Depois foram pra nordeste
Cantar noutra freguesia
E tudo o que ficou foi este
Bocado de melodia

Cantou chuva já sol posto
Nas varas da minha umbrela
Veio salpicar meu rosto
E eu até cantei com ela

Aguaceiro, aguaceiro
Trazes chuva à meia-noite
Para cantar na vidraça
Podes cantar toda a noite
Que eu até te acho graça

Letra: Carlos Tê
Música: Rui Veloso
In Aguaceiro, Lena d’Água 1987

Retirado d'aqui.

Primavera

A Primavera chegou disfarçada de Inverno e alterou os planos a muita gente.
Alegrou os agricultores.
Estragou as férias a quem queria ir para fora na Páscoa.
Lavou ruas, limpou as folhas das árvores e deu força às plantas e culturas sequiosas.



Chuva!

A chuva está aí.
Que bom!!!

Dragão na Abadia

Este pequeno Dragão encontrava-se na fachada da Westminster Abbey em Londres. Muito bonito!


Londres, Março 2005

O meu Domingo foi ...

O meu Domingo foi curto.
Parece que ainda não consegui descansar como queria da viagem a Londres e já uma outra viagem se avizinha.
Enfim... neste Domingo:
- Estive no Oceanário no 2º Aniversário de Fórum de Aquariofilia;
- Almocei no Vasco da Gama;
- Assisti a parte da palestra do japonês Amano da ADA (Aquarium Design Amano);
- Voltei para casa onde dei 5 minutos de atenção às plantas e ao animais;
- Descansei um par de horas (deixei-me simplesmente estar no sofá);
- Jantei uma sopita de legumes e li mais umas páginas do livro que estou a ler há meses e que me parece interminavel.
- Desliguei a luz do candeeiro da mesinha de cabeceira perto das onze.

quarta-feira, março 16, 2005

Will & Grace

Mais um souvenir que trouxe de Londres!!!
A série nr. 5 acabadinha de sair!!!

Fun, fun, fun!!!

Dragão no metro londrino

Este dragão faz parte da decoração de uma estação de metro em Londres.
Gostei dele!

terça-feira, março 15, 2005

Postais

Postais londrinos, Março de 2005


Big Ben e London Eye


Tower Bridge


Tower of London

domingo, março 13, 2005

Ladies in Lavender

Comprámos este filme em DVD em Inglaterra.
Estivémos a vê-lo ontem.
É lindo!



Eu adoro estes filmes com histórias de mulheres.
Mas esse é um assunto para uma dissertação mais profunda num outro post.

The Reason

Cá em casa estamos perdidos de amores por este tema dos Hoobastank.



I'm not a perfect person
As many things I wish I didn't do
But I continue learning
I never meant to do those things to you
And so I have to say before I go
That I just want you to know
I've found a reason for me
To change who I used to be
A reason to start over new
and the reason is you

I'm sorry that I hurt you
It's something I must live with everyday
And all the pain I put you through
I wish that I could take it all away
And be the one who catches all your tears
Thats why i need you to hear
I've found a resaon for me
To change who I used to be
A reason to start over new
and the reason is You
and the reason is You
and the reason is You
and the reason is You

I'm not a perfect person
I never meant to do those things to you
And so I have to say before I go
That I just want you to know
I've found a reason for me
To change who I used to be
A reason to start over new
and the reason is you
I've found a reason to show
A side of me you didn't know
A reason for all that I do
And the reason is you

I'm back!

Já cá estou de novo e com muito material para futuros posts!
:-)

A viagem correu bem.
Apanhámos bom tempo. Frio mas sem chuva.
Adoro Inglaterra, adorei a Cornualha e Londres é sempre Londres!
Depois conto mais, no entanto aqui fica uma foto de um ponto alto da viagem!


Esquilos no Hyde Park

domingo, março 06, 2005

Great film!

Hoje revi, no Canal Hollywood, "Priscilla, Queen of the Desert"...
Um Grande Filme!



Apesar de achar o show de travestis decadente e triste (pelo menos na realidade portuguesa). Este filme tem muito para ensinar.

A Viagem III

Vou para o frio.
Vou para "casa".
Vou deliciar-me.
Vou para onde devia de estar.

Cold feet!

Como é engraçado quando por vezes, procurando coisas totalmente diferentes, vamos dar a outras inesperadamente bonitas!

Aqui fica esta pintura da artista Charlen Jeffery Satrom.

A Viagem II

Porque é que dois dias antes de ir viajar eu tenho sempre vontade de desistir e de não ir???

A Partilha

Hoje fui ver a peça de teatro que estreou há poucos dias no Tivoli - A Partilha.
A peça é de um texto escrito pelo Miguel Falabela que conta o encontro de quatro irmãs no dia da morte da mãe e é sobre a partilha dos bens da mãe, mas também sobre a partilha de sentimentos entre as quatro. A peça é o que se pode chamar de uma comédia dramática.
Este texto já tinha sido levado à cena no Teatro Nacional, há cerca de onze anos. Curiosamente foi a primeira peça de teatro que vi com o meu companheiro.
Na primeira representação, as personagens eram representadas pela Maria Emilia Correia, Helena Isabel, Guida Maria e Julie Sargeant. Na nova versão os papéis são defendidos respectivamente pela Teresa Guilherme, Silvia Rizzo, Rita Salema e Patricia Tavares.
Sinceramente estava muito apreensivo por já conhecer a peça, que adorei - vi três vezes - há onze anos e porque temia que não conseguisse esquecer as actrizes e não visse as personagens. Muita coisa me surpreendeu.
Pela Negativa:
- Não achei tanta piada. (Mas como disse já conhecia o texto);
- Acho que a Rita Salema não se caracteriza. Tem sempre a mesma postura, o mesmo penteado, não sei. Parecem-me todas as personagens dela iguais.
- A Silvia Rizzo também estava fraquinha;
- Não achei que houvésse uma homogeneidade tão grande como achei no primeiro elenco. Haviam ali actrizes, e em especial estas últimas, que não pareciam ter sido feitas para o papel.
Pela Positiva:
- O cenário. Simples. Digamos que, até pobresito, mas imaginativo;
- A escolha dos temas musicais. Muito bons;
- A Patricia Tavares que eu só tinha visto uma vez na peça "A Importancia de ser Ernesto" e que achei que esteve muito bem, muito mais madura e adulta. Um bom papel para ela.
- A Teresa Guilherme, que se estreou como actriz e sobre a qual eu tinha mais receios. Esteve muito bem. Com umas boas e divertidas expressões faciais. Uma personagem que me fez esquecer a Teresa. Esteve muito bem tanto na comédia como na parte mais dramática. As suas expressões e maneira de estar em cena fizeram-me lembrar a Bette Midler, uma actriz que eu adoro.
Só me resta deixar aqui a sugestão para que vão ver esta peça. O texto é formidável. Dá para rir, chorar, pensar na importância das coisas que acontecem na vida de cada um. Mas sobretudo porque saímos do teatro bem dispostos!

Notícia e foto no Jornal de Notícias

quinta-feira, março 03, 2005

O Destino

"O destino costuma estar ao virar da esquina. Como se fosse um gatuno, uma rameira ou um vendedor de lotaria. Mas o que não faz é visitas ao domicílio. É preciso ir atrás dele."

In A SOMBRA DO VENTO de Carlos Ruiz Zafón