terça-feira, dezembro 26, 2006

Mensagens natalícias

As mensagens natalícias têm a importância que lhes queremos dar. E eu não lhes dou grande importância. O cardeal patriarca de Lisboa lá aproveitou o tempo de antena para fazer campanha contra o aborto. É pena que não se lembrem dos filhos ilegítimos e as mulheres que abortam por estarem grávidas de padres... enfim... isso não interessa! Achei nojento mas não me surpreendeu pois a igreja só me surpreende se fizer alguma coisa de bem.
O nosso primeiro ministro pediu-nos para apertar mais o cinto... Não sei, sinceramente onde é que vamos parar, mas também a ver pela loucura de compras natalícias dos últimos dias, parece que está tudo uma maravilha neste país em que cada vez se dá mais valor ao papel de embrulho do que ao que está dentro do dito.
A rainha de Inglaterra, por seu lado, teve um discurso natalício bastante coerente no qual apelou para que as gerações mais novas passem tempo com as gerações mais velhas. O que também podia acontecer no nosso país pois parece que os idosos estão cada vez mais postos de parte. É uma pena que as tradições e os ensinamentos dos mais velhos sejam, cada vez menos, parte constituinte dos pilares das sociedades modernas. Parece-me que estamos perder um pouco a nossa identidade, as nossas tradições e a nossa história.
De resto, nada de novo a assinalar, promessas e blá-blá-blás que não vão alterar nada...

Sem comentários: