sábado, agosto 11, 2007

A Pintora de Plantas

Em 1774, a segunda expedição do Capitão Cook aos Mares do Sul registou uma ave até então desconhecida: o espécime foi capturado, conservado e trazido de volta para Inglaterra, onde acabou por ser entregue ao naturalista Joseph Banks.

Estranhamente, nenhum outro exemplar dessa ave voltou a ser visto, nem nas Ilhas da Sociedade, onde fora encontrado, nem em qualquer outro ponto do planeta. E, mais estranhamente ainda, o espécime que Joseph Banks exibiu orgulhosamente na sua colecção também acabou por desaparecer. Se não fosse uma ilustração a cores feita pelo desenhador que viajara a bordo do navio de Cook, dir-se-ia que a Misteriosa Ave de Ulieta, como ficou conhecida, nunca chegara a existir.

Duzentos anos mais tarde, o irreverente professor John Fitzgerald recebe um telefonema suspeito de uma antiga paixão. Curioso sobre a razão do reencontro, descobre afinal que Gabriella e o seu actual companheiro têm um estranho pedido a fazer-lhe: sendo Fitz o maior estudioso da sua área, deve ajudá-los a procurar a ave embalsamada. Os motivos? Bastante obscuros.





Gostei bastante do livro. Está bem escrito e a história é apaixonante. O mistério de toda a busca e a história da curiosa "Ave de Ulieta" mantém o leitor interessado até à última página. Não conheço mais nada deste autor mas estou curioso por saber que escreveu dois livros policiais em que a heroína é a governanta do Sherlock Holmes.
A capa do livro está muito bonita, feita com muito bom gosto.
Um bom livro.

Sem comentários: