sábado, março 22, 2008

Londres e Duffy

Regressei há dois dias de Londres. Ainda há bocado fiquei parado pois o meu companheiro disse-me uma coisa que eu parecia já ter chegado à conclusão, mas que não queria admitir. De todas as - muitas - vezes que fui a Inglaterra, esta foi a que eu achei menos 'british'. Não sei se me entendem, é difícil de explicar. Pode ser de Londres, mas as pessoas estão descaracterizadas. Aquela maneira de ser tipicamente british que eu adoro não se sentiu tanto. Talvez por ter estado em sítios turisticos, não sei... Entristece-me um bocado.
E encontrei tantos portugueses!... Vai uma pessoa para o estrangeiro e só encontra portugueses. Muito aborrecido...
O que não estranhei foi o preço - alto - das coisas. Inglaterra é sempre assim e, como sempre, gastei demais em coisas que são dispensáveis para muita gente, mas que são, para mim, o sal que me condimenta a vida. Assim, vim carregado de CDs, DVDs, sementes, umas plantinhas - fui a uma exposição de orquídeas - estatuetas para a colecção, coisinhas com Westies, enfim... porcaria para muitos e tesouros para mim... A minha maior prenda desta vez foi uma Hedwig. Uma estatueta da coruja do Harry Potter dentro de uma gaiola com pé onde estão os símbolos das 'casas' de Hogwarts. Linda. Comprei na secção de coleccionadores da Hamleys. Tinham coisas de sonho.
Estava frio. Ideal para passear pelo Hyde Park com um copo de hot chocolat da Starbucks na mão. E os biscoitos!... que maravilha! Desta vez, por causa do frio, só vi um esquilo. Veio buscar um pedacito de biscoito de bom grado.
Já tinha visto um video da cantora Duffy e tinha ficado apaixonado pela voz e pela musica. Na H&M encontrei o CD a 8 libras... Fiquei admirado. Um CD novo. Cá os CDs estão caros demais. A cultura em Portugal é mais cara que em Inglaterra. Gostei de ver que os museus estão abertos gratuitamente. E cheios. Recordei o Museu de História Natural, magnifico, tanto no que tem exposto como o próprio edifício. Lindíssimo.




Duffy, Mercy

Como levámos a Beatriz pela primeira vez a Londres, fizémos algumas visitas turisticas. No entanto o que gostei mais foi da visita ao RHS London Orchid Show, a razão da viagem, e do dia que passámos nos Kew Gardens. Gostava que tivéssemos cá um sítio assim, onde pudessemos esquecer tudo e deixarmo-nos absorver pelo verde. É tão 'aconchegante' ver, numa Terça-feira, um jardim cheio de pessoas a visitar. Mesmo com o frio gelado.

E pessoas com livros na mão. Adoro as livrarias WATERSTONES. Adorava um dia ter uma livraria assim. A Fnac era um pouco assim no início, com um ambiente literário de biblioteca onde, sem sabermos porquê, damos por nós a sussurrar quando podiamos falar normalmente. Talvez a Fnac do Chiado ainda seja um bocadinho assim. Há muito tempo que não lá vou. Desta vez não comprei livros em Inglaterra. Com a Amazon estou 'perto' de tudo. A Internet é uma coisa fantástica para estas coisas. Os jovens de hojem nem imaginam como era antes de haver Internet. Hoje é tudo muito mais fácil. Tem-se acesso a tudo. Talvez por isso muitas vezes não se dê o valor a certas coisas.

Não fui ao cinema em Londres porque a miúda não ia perceber um filme em inglês sem legendas. O inglês que se dá na escola é tudo menos útil para uma conversação. Fomos ver o musical 'O fantasma da ópera' que eu já tinha visto na primeira vez que fui a Inglaterra, há quase 15 anos. Não vimos a actriz portuguesa, no dia em que fomos a Christine era interpretada por outra actriz. Tive pena.

De resto senti-me como sempre. Em casa.