quinta-feira, agosto 06, 2009

Diário disto tudo

Para mais tarde recordar...

Quarta Feira, 29 Julho - A minha mãe foi operada à cabeça de onde foi extraído um tumor (meningioma).
Quinta Feira, 30 Julho - Após uma noite terrível no bloco de cuidados intensivos onde a minha mãe não sabia onde estava nem porque é que estava ali, finalmente volta para o quarto particular onde está connosco a tempo inteiro. A fala, já um pouco afectada antes da operação, regrediu assim como perdeu a mobilidade do braço e perna direitos.
Sexta-Feira, 31 de Julho - Alguma recuperação, especialmente na perna.
Sábado, 1 de Agosto - Já consegue dar alguns passos. Está animada com a perspectiva de ter alta e ir para casa no dia seguinte. Está a comer razoavelmente e já balbucia algumas palavras.
Domingo, 2 de Agosto - Grande ansiedade para deixar o hospital. Finalmente o médico aparece e a minha mãe promete 'mundos e fundos' para que a tirem dali... O médico da-lhe alta e vai com o meu irmão e o meu pai para casa.
Segunda-Feira, 3 de Agosto - Após uma noite bem dormida, já parece outra. Boa recuperação da perna. Nota-se melhoria na fala e boa vontade para a recuperação do braço.
À tarde tem um episódio de epilépsia e vai de ambulância para um hospital distrital onde fica, toda a noite na área aberta das urgências sem nenhum familiar poder estar perto dela. Tem mais duas crises de epilépsia no hospital e o médico faz um ajuste na medicação. Perde toda a mobilidade da perna e braço direitos e também a fala. Voltamos ao início. Grande ansiedade.
Terça-Feira, 4 de Agosto - Volta para Lisboa após um novo TAC onde o médico vê uma pequena hemorragia no local onde foi retirado o tumor. Passa a noite nas urgências, sozinha devido ao pouco acesso a familiares. Passa o dia medicada e a dormir.
Quarta-feira, 5 de Agosto - Passa para um quarto. Está revoltada e furiosa com tudo e todos. Recusa-se a comer, tomar medicamentos. Chego ao final da tarde e parece acalmar. Passo a noite com ela no hospital. Finalmente concorda em tomar os medicamentos com um pouco de yogurte.
Quinta-feira, 6 de Agosto - Acorda mais ou menos calma. Saio para trabalhar e fica com o meu pai. Volta a recusar comer ou tomar os medicamentos. Faz novas análises e um novo TAC. Alguma mobilidade na perna. Nova crise de fúria onde arranca o fio do soro e tem que ser medicada para se acalmar.
Aguardamos...

3 comentários:

pinguim disse...

Calma e Força!!!!
Abraço.

Carlos disse...

Amigo, deixo aqui o meu abraço de amizade e na esperança que as coisas corram melhor... Força e estamos aqui pra o que for necessário.
A coelogyne está num vasinho lá em casa ansiosa por ir para a tua estufa. Abração.

Kaplan disse...

Ânimo e calma, também muita sorte