sábado, março 28, 2009

Transacções (infelizes)


E o 'infelizes' digo eu. Não gostei desta peça de teatro protagonizada pela Catarina Furtado.
Um texto moderno de David Williamson que também já esteve em cena interpretado por Madonna.
Que a Madonna tenha gostado deste texto... até compreendo. Agora a Catarina Furtado?? Pergunto-me porquê? Não tem nada de especial. É uma história até algo banal, com pouco conteúdo. Não está magnificamente bem escrita. Não entendo.
Não gostei.

Os palavrões traduzidos não resultam em português. Os nomes ingleses não traduzidos soam a estranho. A história é desinteressante. Não deixa os actores brilhar.
E as cadeiras do Teatro Maria Matos são muito desconfortáveis.
Encenação de João Reis, com Catarina Furtado, António Durães, Carlos Gomes, Joaquim Horta, Lígia Roque, Mafalda Vilhena e Marta Furtado.

sexta-feira, março 27, 2009

Teatro

Tenho pena de não ver mais teatro. Tenho saudades da época em que era frequentador assíduo do Teatro Nacional. Vi muitas - e boas - peças.
Fiquei feliz ao saber que o Diogo Infante era o novo director do Teatro Nacional. Espero que ele dê, de novo, vida aquelas salas já moribundas há alguns anos.
Gostava de ver de novo peças grandiosas, com bonitos cenários e figurinos! Salas cheias. Teatro.

Hoje podem escolher uma peça e assistir - gratuitamente - num qualquer teatro do nosso país.

Teatro Nacional
Teatro S. Luis
Teatro A Comuna
Teatro Maria Matos
Teatro Aberto
Teatro Tivoli

quinta-feira, março 26, 2009

Uma casa portuguesa ... em Londres

Estive recentemente em Londres e, perto do hotel onde fiquei, havia uma pequena lojinha muito curiosa de tudo o que é português.
Não necessariamente coisas da melhor qualidade ou indispensáveis, mas é interessante ver que, os imigrantes que estão em Inglaterra, sentem falta da revista Maria e do Correio da Manhã, do galão e do Sumol e de uma quantidade de produtos exclusivamente lusitanos e, pensava eu, vendidos só em Portugal.
Os donos eram pessoas do norte de Portugal e os clientes eram também portugueses.
Entrámos porque amigos meus aproveitaram para beber um café à portuguesa pois, segundo dizem, é muito melhor do que o café inglês. (coisas que me ultrapassam porque não bebo café)
Geralmente quando vou ao estrangeiro tento experimentar produtos e marcas diferentes, por isso não procuro coisas portuguesas. Mas compreendo que, quem se ausenta do seu país por longos periodos, procure pequenas coisas que lhe alimentem a saudade.

terça-feira, março 24, 2009

Pública - Paulo e Zé

Ao entrar no avião em Londres agarrei no jornal e levei-o para ler durante o voo.
Pouco depois de iniciarmos a viagem, o meu primo, no banco de trás, toca-me no ombro:
- Vens no jornal?
- Hã?
- São vocês que vêm no jornal?
Outros amigos riram-se!
Não éramos nós. Era outro Zé e outro Paulo. Se fossemos nós a entrevista seria muito parecida!As histórias repetem-se!
Gostei de ler a entrevista deste casal.

quarta-feira, março 18, 2009

Matar por estupidez!


"A estupidez é a qualidade ou condição de ser estúpido, ou a falta de inteligência, ao contrário de ser meramente ignorante ou inculto. Esta qualidade pode ser atribuída às ações do indivíduo, palavras ou crenças. O termo assim também pode se referir ao uso inadequado do juízo, ou insensibilidade a nuances por uma pessoa que se julga inteligente."

Esta é a definição que se encontra na Wikipedia que define, sem tirar nem pôr, a atitude do Papa hoje, na sua visita a Àfrica, quando disse que os africanos se deviam afastar dos preservativos pois estes agravam a SIDA.

Para mim, devia ser preso por assassínio. Se os africanos são difíceis de convencer a praticar sexo seguro e evitar que se alastre mais a SIDA no continente africano, como será se o suposto supremo religioso tem atitutes e idéias destas? Não dá para perceber.

Acho que o mal do Papa é viver fechado no seu palácio rodeado de riqueza. Não sabe o que é o mundo real. Ponham-o a trabalhar num hospital em África para ver se ele não muda de idéias.

Acho isto mostruoso!!

Stolen For Fashion



Vozes de Pink e Ricky Gervais

sábado, março 14, 2009

Watchmen, o filme


Baseado na banda desenhada com o mesmo nome, editada pela DC Comics.
É considerada uma banda desenhada alternativa e para um publico mais adulto.
O filme também o é, para adultos. É muito violento. Diferente.
Não gostei.
De aspectos positivos, só me consigo lembrar do Patrick Wilson e de alguns ambientes bem recriados.

Matar por esquecimento??

Qual é o pai que deixa o seu filho morrer por esquecimento, dentro do carro, estacionado em frente ao emprego e a escassos metros do infantário, onde o deveria ter deixado.
Que situações teria 'originado' este esquecimento? A sociedade? stress? a vida louca que muitas vezes levamos?
Nada é desculpa!
Se a mim me chocou, não sei como será com os familiares...
Não imagino como será a vida depois disto..

Ver notícia.

quinta-feira, março 12, 2009

Matar... porquê?

Assusta-me toda esta onda, infelizmente cada vez mais frequente, de assassínios à mão armada.
Especialmente destes jovens que, sabe-se lá porquê, desperdiçam vidas, incluindo as suas, assim...
Ontem foi outra vez. O pai tinha várias armas em casa. 16???? Legalizadas. Praticava tiro.
Mais uma vez não compreendo este amor/orgulho/prazer das pessoas pela destruição.
Algo que não se consegue mudar. Não conseguimos evoluir tanto.
E esta sociedade que afecta os jovens tornando-os assim violentos.
Assusta-me, já disse! Fico triste...

domingo, março 08, 2009

quarta-feira, março 04, 2009

Matar por Prazer!

É um conceito que nunca compreendi e que abomino.
Terminar com a caça seria a resolução de muitos problemas.
Mas o lobby da Caça dá muito dinheiro... aí está o verdadeiro problema.
A razão de sempre e que fala muito mais alto: DINHEIRO! (a palavra mágica)
Uma vergonha, digo eu.


ICNB apresentará queixa-crime
Encontrado morto o macho do único casal de águia-imperial que nidificou no país
02.03.2009 - 15h33 Helena Geraldes, In Jornal Público de 2 de Março de 2009
O macho do único casal de águia-imperial Aquila adalberti que nidificou com sucesso em Portugal em 2008 foi encontrado morto na última quinta-feira com chumbos de caçadeira, na área do Vale do Guadiana. O Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB) vai apresentar queixa-crime contra incertos.O corpo da ave, de uma espécie classificada como Criticamente em Perigo e que só existe em Portugal e Espanha, foi encontrado junto ao seu ninho na quinta-feira, na área do Vale do Guadiana, em zona de caça associativa já fora do Parque Natural mas dentro de uma ZPE (Zona de Protecção Especial). A cria tinha abandonado o ninho, no final do Verão, e é actualmente autónoma em relação aos pais."Fomos alertados por um proprietário da região que a tinha encontrado (...). Inicialmente suspeitámos de envenenamento mas depois de fazermos uma radiografia detectámos vários chumbos espalhados por todo o corpo", explicou ao PÚBLICO Pedro Rocha, director-adjunto do Departamento de Gestão de Áreas Classificadas - Sul.Segundo o ICNB, que já contactou o SEPNA da GNR para tentar saber o que se terá passado, a necrópsia revelou que a ave terá morrido entre os dias 21 e 23 de Fevereiro, atingida por chumbos de caçadeira.A águia-imperial encontrada morta teria pelo menos seis anos, dado que apresentava ombros brancos, característica de aves que atingiram a idade adulta.O abate desta águia configura uma contra-ordenação ambiental muito grave, em conformidade com o Regime Jurídico da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, de 24 de Julho de 2008.Para Pedro Rocha, houve uma perseguição: "Todos os factos apontam para isso. Para alguém que, de forma premeditada, perseguiu a ave". "Queremos apurar responsabilidades".Segundo o Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal, devem existir em Portugal entre dois a cinco casais de águia-imperial, na zona do Vale do Guadiana, no Alentejo Central e na Beira Baixa. No entanto, no ano passado apenas um conseguiu nidificar e reproduzir-se com sucesso. Os principais factores de ameaça são o envenenamento, a perseguição directa e a perturbação dos locais de nidificação."Esta espécie não criava em Portugal e, lentamente, está a tentar recolonizar o nosso território, vinda de Espanha. Por isso, esta perda é muito grande", lamentou Pedro Rocha.A fêmea não terá agora vida fácil. Segundo Pedro Rocha, a ave tentará encontrar um macho nas redondezas para formar um novo casal. "Mas isso é pouco provável porque a maioria são aves imaturas que ainda não formam casais. O mais certo é a fêmea passar algum tempo sozinha e decidir procurar outra área para nidificar"."Hoje temos mais condições" para esta espécie "mas mesmo assim temos de trabalhar mais. Isto [abate da ave] não nos valoriza sob qualquer ponto de vista". O Vale do Guadiana está agora em plena época de nidificação. "Este é um período muito importante para percebermos se as aves estão a voltar aos ninhos. Este ninho já estava arranjado, um sinal de que o casal estava no local. Mas andavamos preocupados porque ainda não os tinhamos visto juntos. Mesmo que não fossemos alertados pelo proprietário, teríamos lá ido verificar o que se passava".

terça-feira, março 03, 2009

Ler sobre Livros


Descobri - só agora - esta revista.

Que agradavel, poder ler sobre livros.

Fiquei fã.

E este número tem a oferta de um livro.

Darwin na Gulbenkian

A EVOLUÇÃO DE DARWIN, é o título da exposição, dedicada ao 200º aniversário de Charles Darwin e ao 150º aniversário da publicação da obra A ORIGEM DAS ESPÉCIES, na Gulbenkian, em Lisboa.
Fui ver a exposição no passado Domingo e gostei bastante.
Está dividida em várias àreas mas foca bem o que foi a vida e a obra de Darwin com especial relevo para as observações na viagem de 5 anos a bordo do navio 'Beagle' e nos estudos postriores, já em Inglaterra, com base no que viu na viagem.

É uma exposição para todas as idades, com animais vivos (em colaboração com o Jardim Zoológico de Lisboa) e com muitas maquetes, mapas e material diverso (em colaboração com o museu de história natural de Nova Iorque).

De 12/02/2009 a 24/05/2009
Terça, Quarta, Sexta e Domingo das 10h00 às 18h00
Quinta e Sábado das 10h00 às 21h00
Galeria de Exposições Temporárias da Sede
O bilhete custa 4,00 Euros.
Grátis ao Domingo

Para quem, como eu, ficou interessado no tema, aconselho a comprar o magnífico livro da exposição ou escolher por algumas obras já editadas em Portugal.