quarta-feira, agosto 26, 2009

Benigno

'Neoplasia derivada da célula aracnoideia, não invasiva do parênquima nervoso nos fragmentos estudados, correspondente a um meningioma da variante microquística, grau I da clas. da OMS'

Tudo isto quer dizer que o tumor retirado do cérebro da minha mãe é um tumor benigno.

segunda-feira, agosto 24, 2009

Altos e Baixos 2

É assim que anda a recuperação da minha mãe.
Aos altos e baixos.
Ora tem força e ânimo para fazer a fisioterapia e a terapia da fala, ora nos trata mal como se a tivessemos presa no hospital.
A vontade de ir para casa 'cega-a' e reage muito mal connosco. Outras vezes é um doce.

As melhoras são poucas. Desde Sexta-Feira que consegue articular melhor as palavras, o que já é muito bom. Essa melhoria deu-lhe ânimo na Sexta-Feira e Sábado, mas no Domingo já estava negativa outra vez...

Ontem tratou-me mal e hoje disse-me que estava cheia de saudades.
Tudo isto é 'normal', eu sei.
Mas é muito difícil vê-la assim.

domingo, agosto 23, 2009

Altos e Baixos

altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e altos e baixos e... estou cansado.

sábado, agosto 22, 2009

Duas Fitas

Vistas na última semana. Como a realidade nesta altura não tem andado muito animadora. Apetece-me enfiar numa sala de cinema e 'esquecer' os problemas durante um par de horas.

G.I. Joe

Um bom filme de super-heróis. Sinceramente já me vou fartando um bocado deste tipo de filmes. Violência. Poderes especiais. Acção. Enfim, a história está boa, tem alguns bons actores mas não é um grande filme. Bom para ver em DVD num Domingo chuvoso!

UP

Pelo contrário esta animação da Pixar está fantástica. Muito muito boa. Muito bem feita. Comovente. Com algumas boas piadas. Personagens muito bem conseguidas. Uma história que nos toca, cheia de mensagens. A ver num cinema.

quinta-feira, agosto 20, 2009

As minhas desavenças com os deuses...

Nas minhas poucas deambulações sobre este tema aqui, já devem ter percebido que sou Ateu.
Fui educado na religião católica, mas desde o início da minha juventude, digamos que desde que comecei a pensar por mim, que cheguei à conclusão que sou verdadeiramente Ateu.
Respeito quem é religioso desde que não me tentem converter e desde que respeitem a minha condição de não religioso.
Com este caso todo da doença da minha mãe, as minhas tias, umas mais beatas que as outras, lá andam em rezas e a pedir a todos os santos da sua devoção pelas melhoras rápidas da minha mãe. Uma especialmente - a beata-mor da família - até parece que está a aproveitar todo o caso para me converter a mim ou outras ovelhas tresmalhadas do rebanho.
Há dias, um dos poucos em que a minha mãe teve uma reacção mais positiva e um sinal de melhoras, é claro que, para essa minha tia, FOI DEUS!!!
Tive que contar até dez... para não lhe dizer que se foi o Deus dela que mais valia que não tivésse colocado o tumor na cabeça da minha mãe, nem tivésse permitido que houvessem complicações pós-operatório. Que assim parecem aquelas obras feitas em véspera de eleições que perdem metade do valor de quem as faz porque todos sabemos que vêm com segundas intenções.
Mas calei-me...
'Mais cego é aquele que não quer ver'.

quarta-feira, agosto 19, 2009

A História de Edgar Sawtelle


Um livro muito bom, com uma história muito bem contada e com personagens muito boas, muito bem descritas, muito consistentes e reais.
Oprah Winfrey considerou este, o melhor romance que já leu. Eu não vou tão longe, mas é um romance extraordinário.
Identifico-me bastante com a personagem principal e, como costumo ler deitado com um ou mais dos meus 4 cães, este romance teve um gosto especial.
O autor, David Wroblewski, descreve brilhantemente a paisagem americana do estado de Wisconsin, bem como as emoções tanto humanas como caninas. Este não é um livro sobre cães, mas estes ocupam uma parte fundamental do romance. Quem goste de cães não fica, certamente, indiferente a esta história.

terça-feira, agosto 18, 2009

Sinais de Vida

Depois de alguns dias mais desanimadores, parece que a minha mãe começa a dar alguns sinais de recuperação.
Coisas muito leves mas, para nós, significativas e que representam muita esperança.
Mais lucidez, uma ou outra palavrinha balbuciada, um músculo mais enérgico... Enfim, pequenas coisas que podem ser o princípio do 'regresso' da minha mãe...

quinta-feira, agosto 13, 2009

The Young Victoria


Estava à espera deste filme há algum tempo e já sabia que ia adorar.
A vida da Rainha Victoria de Inglaterra enquanto jovem.
Já tinha estudado esta parte da história de Inglaterra e tinha gostado imenso da personagem.
O filme está muito bom, muito bonito, muito 'limpinho'. Boas interpretações. Uma boa história.
Um bom filme para eu ver - quando?? - com a minha mãe.

quarta-feira, agosto 12, 2009

Jamie Oliver / Village People

E ainda...

Na noite de 6 de Agosto, que passei novamente com a minha mãe no hospital, consegui dar-lhe ânimo e explicar-lhe que ia ser transferida para outro hospital para iniciar a fisioterapia.
Foi na Sexta-Feira, dia 7 de Agosto, para o Garcia da Orta onde ficou num quarto de três pessoas. Pareceu animada.
Sábado passou bem, sem alterações. Não a vi pois estive a trabalhar e ela teve muitas visitas.
Entretanto, no estacionamento do hospital, assaltaram o carro do meu irmão e levaram as duas malas da minha mãe. O meu irmão não conseguiu fazer a participação na polícia porque o carro era da empresa onde ele trabalha e as coisas roubadas não eram dele, eram da minha mãe.
Domingo notei que estava cansada. À noite voltou a tirar o catéter do soro e esteve muito exaltada. Entretanto o meu pai voltou a casa pois estava a ficar transtornado, muito cansado e não estava a ajudar.
Na Segunda-Feira passei a tarde toda com ela, comeu um pêssego que lhe levei e pareceu animada. Como não tinha ainda iniciado a fisioterapia, fui falar com a médica fisioterapeuta que nem sabia da existência dela no hospital.
O meu irmão lá conseguiu fazer a participação do assalto ao carro na polícia. Que cambada de inúteis. Só vendo o trabalho daqueles homens...
No dia 11, Terça-Feira, achei-a muito em baixo. Chamei a enfermeira e verificou-se que tinha febre. A enfermeira explicou-me que tinha uma infecção urinária. Não urinava na fralda e foi-lhe colocado uma Algalia. À noite conseguiu tirar a algália e voltou a estar bastante excitada.
Entretando uma das malas da minha mãe parece que apareceu no Seixal. O meu irmão foi lá levanta-la mas só lá estava um polícia e não sabia (ou não quis saber) do assunto. Tem que lá voltar no dia seguinte.
Quarta-Feira fiquei pouco tempo com ela pois o meu pai veio visita-la. Já faz fisioterapia há dois dias mas não se vêm progressos nenhuns. Dizem-nos que a recuperação será lenta. Não diz uma palavra e continua a não fazer um movimento no braço e na perna direitos. Está cansada. Tem os pés inchados. O medicamento para a infecção também lhe provoca sono.
Não consigo falar com a médica dela e a impotência de não conseguir ajudar em nada é enervante.

quinta-feira, agosto 06, 2009

Diário disto tudo

Para mais tarde recordar...

Quarta Feira, 29 Julho - A minha mãe foi operada à cabeça de onde foi extraído um tumor (meningioma).
Quinta Feira, 30 Julho - Após uma noite terrível no bloco de cuidados intensivos onde a minha mãe não sabia onde estava nem porque é que estava ali, finalmente volta para o quarto particular onde está connosco a tempo inteiro. A fala, já um pouco afectada antes da operação, regrediu assim como perdeu a mobilidade do braço e perna direitos.
Sexta-Feira, 31 de Julho - Alguma recuperação, especialmente na perna.
Sábado, 1 de Agosto - Já consegue dar alguns passos. Está animada com a perspectiva de ter alta e ir para casa no dia seguinte. Está a comer razoavelmente e já balbucia algumas palavras.
Domingo, 2 de Agosto - Grande ansiedade para deixar o hospital. Finalmente o médico aparece e a minha mãe promete 'mundos e fundos' para que a tirem dali... O médico da-lhe alta e vai com o meu irmão e o meu pai para casa.
Segunda-Feira, 3 de Agosto - Após uma noite bem dormida, já parece outra. Boa recuperação da perna. Nota-se melhoria na fala e boa vontade para a recuperação do braço.
À tarde tem um episódio de epilépsia e vai de ambulância para um hospital distrital onde fica, toda a noite na área aberta das urgências sem nenhum familiar poder estar perto dela. Tem mais duas crises de epilépsia no hospital e o médico faz um ajuste na medicação. Perde toda a mobilidade da perna e braço direitos e também a fala. Voltamos ao início. Grande ansiedade.
Terça-Feira, 4 de Agosto - Volta para Lisboa após um novo TAC onde o médico vê uma pequena hemorragia no local onde foi retirado o tumor. Passa a noite nas urgências, sozinha devido ao pouco acesso a familiares. Passa o dia medicada e a dormir.
Quarta-feira, 5 de Agosto - Passa para um quarto. Está revoltada e furiosa com tudo e todos. Recusa-se a comer, tomar medicamentos. Chego ao final da tarde e parece acalmar. Passo a noite com ela no hospital. Finalmente concorda em tomar os medicamentos com um pouco de yogurte.
Quinta-feira, 6 de Agosto - Acorda mais ou menos calma. Saio para trabalhar e fica com o meu pai. Volta a recusar comer ou tomar os medicamentos. Faz novas análises e um novo TAC. Alguma mobilidade na perna. Nova crise de fúria onde arranca o fio do soro e tem que ser medicada para se acalmar.
Aguardamos...

terça-feira, agosto 04, 2009

O QUARTO MÁGICO, de Sarah Addison Allen


Já tinha lido o primeiro livro da autora 'GARDEN SPELS - O JARDIM ENCANTADO', que gostei bastante.
Tinha alguma expectativa neste livro e, apesar de ter gostado mais do JARDIM ENCANTADO, este não lhe fica muito atrás.
Novamente uma história de mulheres com algum encantamento e magia à mistura. De muito boa leitura. História e personagens interessantes e divertidas.

Só não percebi a razão da mudança do título original 'The Sugar Queen' (A rainha do açucar) justificada por uma das personagens comer doces compulsivamente por carências afectivas e todos os capitulos têm o nome de um doce, para O QUARTO MÁGICO que, se vermos bem, não faz qualquer sentido.

Mais uma vez o tradutor não percebe que não tem que reescrever o livro mas sim traduzir com a maior fidelidade a obra e as intenções do autor dessa obra.