domingo, julho 31, 2011

45 Days Book Challenge IV



Livro sobrevalorizado

'Caderneta de Cromos', de Nuno Markl

Não percebo quem é que compra estes livros. E é verdade que vendem, mas será mesmo que alguém os lê e que haverá alguém que exiba mais do que um sorriso ao ler algumas das crónicas de Nuno Markl que passam diariamente na Rádio Comercial?

Não acredito. Algumas crónicas até estão engraçadas mas não me vão fazer comprar um livro com as compilações dessas crónicas porque a graça não está só no texto. Uma grande percentagem da piada está na leitura dos textos na primeira pessoa e até nas reações dos apresentadores do programa da manhã da comercial.

Por isso, acho que se dá valor a mais a este e outros livros do mesmo tipo. Acho que não funcionam neste formato e tenho pena que todos os Natais haja um (ou mais) destes que vai ser comprado como aqueles presentes 'não sei o que lhe dar' quando se deviam oferecer outros livros, com maior valor educativo.

sábado, julho 30, 2011

45 Days Book Challenge III



Livro Subvalorizado

'A Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata', de Mary Ann Shaffer e Annie Barrows

Este foi um dos livros que li o ano passado que me deu mais prazer. É um livro que foi escrito por Mary Ann Shaffer e que foi corrigido e terminado pela sua sobrinha, Annie Barrows, quando a sua autora morreu com um cancro antes deste ser publicado.

O livro é sobre a amizade, sobre pessoas simples, sobre livros e é passado na Ilha de Guersey, uma pequena ilha inglesa entre a Inglaterra e a França que foi o único território inglês ocupado pelos nazis na 2ª Guerra Mundial. É muito interessante, está muito bem escrito e as personagens são deliciosas.


Este livro é subvalorizado pelo ridículo título. É verdade que até tem razão de ser (leiam o livro se querem saber a razão da tarte de casca de batata) mas o livro não merecia um título destes. Gostei tanto que já ofereci e aconselhei este livro a algumas pessoas que adoram o livro e que me dizem sempre que pelo título nunca pegariam nele para ler.

sexta-feira, julho 29, 2011

45 Days Book Challenge II


Livro Detestado
'O Vale dos Segredos', de Charmian Hussey
Tinha muita coisa para ser uma boa história mas foi tão mau, tão mau. Má história, ridícula, mal contada, previsível... Não vou dizer mais nada. Se virem por aí esta capa e sentirem a tentação de lhe pegar... Batam na vossa mão... Esse livro é um NÃO redondo!

quinta-feira, julho 28, 2011

45 Days Book Challenge I

Vi esta idéia no Blog Página A Página e decidi aderir. É um bom exercício sobre uma das minhas paixões.





O Livro Favorito
'Salto Mortal', de Marion Zimmer Bradley
Li já há alguns anos e espero ler ainda outra vez. Uma belíssima história com personagens fantásticas num mundo e numa época apaixonantes. Uma grande história de vida, de amor, de família. Muito bem escrito pela escritora que ficou conhecida pelas 'Brumas de Avalon'. É impressionante como as emoções são tão perfeitamente descritas. Uma obra prima.
(o meu exemplar não tem esta capa mas esta edição está muito mais bonita)




Outros favoritos


'Dear Frank', de Nancy Horan


'A Hora das Bruxas', de Anne Rice


'A Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata', de Mary-Ann Shaffer e Annie Barrows


'Os Maias', de Eça de Queirós





segunda-feira, julho 25, 2011

Larry Crowne




É um filme sem história, ou melhor, com uma fraca história ou com uma história mal explorada. Se não fosse por ter Tom Hanks e Julia Roberts no cartaz, era um filme que nem iria às salas de cinema.


E o Tom Hanks está esquisito, plástico, recauchutado, com uma cor esquisita de pele, com o cabelo pintado... enfim, levei o filme todo a pensar... mas ele fez alguma plástica?? Está tão estranho...


A Julia Roberts está bem mas o personagem não a deixa brilhar muito.


É um filme parecido com 'Stanley & Iris', de 1989 em que o par era a Jane Fonda e o Robert DeNiro. Mas esse era um filme com história, com conteúdo. Este Larry Crowne não convence, não comove e só nos consegue arrancar alguns sorrisos.


Sem grandes morais, sem grandes diálogos, sem grande história... um daqueles filmes para ver num daqueles Domingos chuvos em que nada temos para fazer além de vegetar em frente à TV e ver qualquer coisa ou dormitar!!




quarta-feira, julho 20, 2011

Harry Potter e os Talismãs da Morte - Parte 2



Finalmente terminou. E digo finalmente porque o que me apaixonou no Harry Potter não foi a sua batalha com o Voldemort (que até achei demasiado violenta nos últimos filmes) mas sim toda a magia e imaginação daquele mundo paralelo ao nosso mas que se veio a descobrir, pela negativa, tão parecido com o nosso. Foi há dez anos que começou e acho que a idéia da autora foi mesmo genial. Para além dos seres mitológicos e da magia tinha também tradição e valores de Hogwarts, amizade e mistério. Toda a magia foi reinventada e nunca mais voltará a ser a mesma depois de Harry Potter. Sinto-me previlegiado por ter vivido nos anos em que os sete volumes foram escritos e por poder ter saboreado, desde o início, à medida que iam sendo publicados, os primeiros dando largas à imaginação e depois dos filmes sonhando com as imagens que a WB nos deu como definitivas. Foi uma obra que pôs muita gente a ler, mesmo quem não tinha esse hábito (e espero que alguns tenham continuado a fazê-lo) e que revolucionou a literatura juvenil e a literatura fantástica. É verdade que nenhuma obra igualou ou sequer chegou perto ao êxito de Harry Potter, mas também é verdade que as editoras, talvez as 12 que recusaram o primeiro manuscrito da saga Harrypottiana, começaram a apostar em vampiros, montros, anjos e fadas como nunca se tinha visto, até mesmo em Portugal surgiram alguns livros dando os primeiros passos no género fantástico. Sinceramente, a mim, não apareceu nada que me entusiasmasse e estas edições (as que me aventurei a ler) soam-me todas a coisas já escritas, com outras roupas e outros cenários mas nada com a frescura e inteligência que a J. K. Rowling trouxe com Harry Potter.

Quanto a este filme, é o final e não me entusiasmou por aí além. Está bem feito e com belíssimos efeitos como os anteriores da saga mas deixou-me insatisfeito. Para uma obra que foi dividida em dois filmes de duas horas, acho que prestou pouca atenção aos pormenores. Mas teve várias surpresas e acabamos sempre por gostar. Foi um bocadinho nostálgico saber que é o 'The End' mas Hogwarts, Hogsmead, Ron e toda a sua ruiva família, todos os malvados, Hermione, os restantes alunos e Harry Potter continuarão sempre perto, à distância de um folhear de um dos sete livros. Acho que será um lugar onde sempre voltarei.

segunda-feira, julho 18, 2011

CARS 2



Não gosto de carros, não tenho carta de condução e não conheço nenhumas marcas nem modelos de carros. Nunca me interessei. Os únicos carros com que brinquei em criança eram carrinhas de caixa aberta onde eu punha os animais da minha quinta. Enfim, tudo isto para explicar que o filme CARROS foi um dos poucos da Pixar que eu não vi pois o tema não me despertou o interesse.
Acontece que agora o meu sobrinho é um SUPER FÃ de tudo o que é da família dos CARROS da Pixar. Assim, fui apresentado ao Faísca e ao Matt e restante carroçaria há muito pouco tempo.
Aconteceu que esta paixão coincidiu com a estreia do filme CARROS 2 e resolvemos que esse seria o seu filme de estreia num écran de cinema. Assim, ontem lá fomos, e correu muito bem (não esperavamos que ele aguentasse o filme todo mas aguentou), e adorou e depois tivémos que passar pela loja da Disney para comprar um boné, uma t-shirt e um lego. O próximo passo será uma ida à EuroDisney para o ano, se tudo correr bem, para ver 'a casa' do Faísca.
Quanto ao filme, está muito divertido, muito bem feito, com uma animação de luxo, personagens muito engraçadas, divertido tanto para crianças como para adultos. É uma história de espionagem que não fica atrás de nenhum James Bond, com perseguições, explosões e tudo o que faz parte!
Um filme a ver, em família, como eu!!
A partir de agora tenho com certeza um companheiro para ir ao 'cimena'...

sábado, julho 09, 2011

Pequenas Mentiras Entre Amigos



Um grande filme. É impossível não relacionar com o 'Amigos de Alex' da minha juventude mas é diferente. Talvez mais maduro, um amigo meu diria mais europeu, talvez por os personagens agora serem personagens da minha idade (quando vi os 'Amigos de Alex' eu era muito mais novo que os personagens), talvez por me identificar mais com tudo o que vive esta geração. O facto é que adorei. São 153 minutos que passam sem darmos por eles, onde rimos, pensamos e nos comovemos. Os mais sortudos, sairão de lá diferentes.

Um fantástico grupo de actores fraceses onde se inclui a oscarizada Marion Cotillard e o fantástico Benoit Magimel. A realização tem muito movimento de câmara e muitos grandes planos que mostram fisicamente as emoções dos personagens!!

Um dos filmes do ano seguramente.

quinta-feira, julho 07, 2011

Aprende-se ...

... que grandes amigos podem tornar-se grandes desconhecidos. Que grandes desconhecidos podem tornar-se os nossos melhores amigos. Que nunca terminamos de conhecer uma pessoa. Que o "nunca mais" acontece e que o "para sempre" acaba. Que quem quer pode e consegue. Que o que não arrisca, não perde nada (mas também não ganha). Que o físico atrai, mas a personalidade apaixona!!

sábado, julho 02, 2011

Transformers, Dark of the Moon



História interessante e efeitos visuais deslumbrantes. Muito bem feito.

Mas é um filme para apreciadores de filmes do género ou do universo transformers. Eu fui ver 'de arrasto' e achei demasiada destruição e lutas entre máquinas, tornou-se cansativo. Já não tenho idade para isto.

As actuações do elenco são razoáveis, a única que se salientou pela positiva foi a Frances McDormand.

Vão ver se gostarem mesmo deste tipo de filmes ou deixem para uma tarde de Domingo de Inverno.

sexta-feira, julho 01, 2011



DVD - Marie Antoinette
De Sofia Coppola, com Kirsten Dunst (2006)
Depois ter estado em Versailles em Junho passado, fiquei com curiosidade de ver este filme sobre a rainha Marie Antoinette e a corte de Louis XVI que foi filmado mesmo no palácio de Versailles.
Gostei bastante e achei a história muito interessante. E é claro que os cenários, guarda-roupa e acessórios estão deslumbrantes.
Só não percebi o porquê da música moderna em vez da música da época, mas são detalhes menores. A interpretação da Kirsten Dunst está muito boa, digamos que foi talhada para o papel assim como a dos secundários.
Foi uma época conturbada em Paris e percebe-se que Versailles e a vida em Versailles incomodasse o povo que passava fome. Infelizmente tudo terminou mal (parte que não se vê no filme) para a família real francesa.
Muito interessante.