quarta-feira, novembro 30, 2011

Laços Eternos, de Kate Jacobs




Este livro estava na minha mesa de cabeceira desde o início do ano porque a história se passava no Natal e não me apetecia ler uma história natalícia fora de época. Agora, que o 25 de Dezembro se aproxima rapidamente, a disposição para lhe pegar foi outra.
Não percebo como é que a editora portuguesa edita o livro Nr. 1 (O Clube de Tricô de Sexta à noite) e depois edita o Nr. 3(este livro), passando por cima de uma parte da história. Coisas das editoras portuguesas.
Entretanto foi bom r...moreEste livro estava na minha mesa de cabeceira desde o início do ano porque a história se passava no Natal e não me apetecia ler uma história natalícia fora de época. Agora, que o 25 de Dezembro se aproxima rapidamente, a disposição para lhe pegar foi outra.
Não percebo como é que a editora portuguesa edita o livro Nr. 1 (O Clube de Tricô de Sexta à noite) e depois edita o Nr. 3(este livro), passando por cima de uma parte da história. Coisas das editoras portuguesas.
Entretanto foi bom reencontrar as personagens do primeiro livro e ver como evoluíram. A história está mais fraca do que o livro 1 mas continua a ser de agradável leitura. Quem gostou do primeiro gostará de pegar neste novo volume do Clube de Tricô onde se continua a fazer malha e muito mais...

segunda-feira, novembro 21, 2011

sexta-feira, novembro 11, 2011

Como uma Teia de Aranha


A força e convicção não têm idade. O espírito é como uma teia de aranha. Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida. Continua, quando todos esperam que desistas. Faz com que em vez de pena, te tenham respeito. Nunca te detenhas!!!


segunda-feira, novembro 07, 2011

Leituras ao Luar


A que nos agarramos na presença de um cancro? A professora australiana Brenda Walker agarra-se aos livros, aos clássicos. Que livro levar para um hospital? Existe um livro perfeito para estas ocasiões?
Felizmente nunca me vi numa situação destas mas o hipocondriaco que existe em mim deixou-me a pensar quando li a sinopse. Provavelmente também me agarraria aos livros. Sempre foram para mim um meio de sonhar e de fugir à realidade e aquela seria uma realidade da qual eu me quereria afastar. Não sei se teria depois a vontade ou força de vontade. São 'experiências' muito complicadas e, infelizmente, cada vez mais frequentes.
O livro está bem escrito. É interessante mas falha em não nos dar uma solução para a pergunta formulada no início. Ou será que não existe uma resposta?