terça-feira, dezembro 31, 2013

2013 em despedida


Com os meus cachorros a passear por Milfontes neste último dia do ano. Quando tirei a foto ainda não chovia, agora já está a chover. 
O que poderei dizer deste 2013?... 
Foi um ano de mudança para mim, com o fecho da minha loja e o início do trabalho nos Jardins Sintra Lda. Foi um ano em que andei a limpar as pontas soltas da loja. Leva tempo. Foram 10 anos a trabalhar com animais e que terminei com alguma desilusão e cansaço. Entretanto lancei o meu livro A PAIXÃO PELAS ORQUÍDEAS que me trouxe alguma satisfação pois foi a realização de algo que já andava comigo há bastante tempo, desde que saiu o livrinho que fiz para a Luso Bonsai em 2009. Escrever um livro é trabalhoso mas o resultado foi muito positivo. Com ele conheci ainda mais pessoas, apaixonados por orquídeas, e ainda continua a dar frutos. Um livro vive por muitos anos e enquanto houver alguém a lê-lo terei sempre a sensação de que valeu a pena. O feedback dos leitores é muito gratificante.
Foi também um ano em que continuei a organizar as minhas viagens 'Greentrips' e  este ano viajei para o oriente pela primeira vez numa viagem fantástica onde passei pelo Dubai, Malásia e Singapura. Gostei e aprendi imenso.
Também foi um ano em que conheci de verdade algumas pessoas e, como aconteceu em 2012, foi uma desilusão. Pouca gente me surpreendeu pela positiva, conheci algumas pessoas novas que são para manter no meu círculo mas outras, talvez mais marcantes por ser pela negativa, foram uma autêntica desilusão. Nada de novo. Gente que não me faz falta.
2013 foi um ano em que até aconteceram algumas coisas mas não foi um ano brilhante. Termina sem grande saudade. 

Espero que 2014 seja muito melhor, com algumas decisões tomadas este ano, que seja passado com saúde, um pouco menos 'apertado' e com mais alguns passeios, projectos e gente positiva a acompanhar-me neste meu caminho. Os meus agradecimentos a quem contribuiu para a minha felicidade. Espero também ter sido causador de bons momentos para quem me trata com amizade. Até 2014.

Segredos para um final feliz

Um livro muito no feminino com o qual eu não me envolvi inteiramente. Se não tivesse livros e cães teria sido ainda muito pior. As personagens são um bocadinho leves e transparentes. Com problemas onde eles não existem. Irrita-me na vida real e também nos livros.
De qualquer maneira aconselho a quem gostar de escrita leve e romanceada...


domingo, dezembro 29, 2013

Hunger Games 2


Muito boa esta segunda parte da trilogia 'Hunger Games'. Com personagens bastante interessantes e uma história que, não sendo brilhante, é uma boa história. Há algumas pontas soltas que espero que sejam explicadas na terceira e última parte mas temos que esperar mais um ano. 
Esta história, pela sua originalidade, devia ter sido lida antes de vista no cinema, mas como não há tempo para se ler tudo o que queremos, é uma trilogia que não vou ler ou ... quem sabe leio o terceiro volume antes de ver o filme. 


segunda-feira, dezembro 16, 2013

The Hobbit: A Desolação de Smaug


Caros amigos, já estou farto disto! Eu sou um fã de Tolkien e dos seus livros mas este filme do Hobbit está demasiado esticado. Torna o filme uma verdadeira desolação. Está bem, está bem feito, os efeitos especiais são bons, o dragão está muito bom... mas a história arrasta-se! E ainda mais duas horas para o ano que vem??? (suspiro)

segunda-feira, novembro 18, 2013

O Festim dos Corvos


Depois da 'bomba' que foi o livro anterior, o autor apresenta-nos uma nova teia do poder a ser formada. Novas personagens e novas conspirações tornam a história interessante e num ponto em que sabemos que algo está para acontecer. Westeros está a chegar ao ponto de ebulição. 

Lamento novamente a edição portuguesa em 2 volumes e com dezenas de páginas gastas em árvores genealógicas que pouco ou nunca se consutam.

segunda-feira, setembro 30, 2013

A Glória dos Traidores


Que o George R. R. Martin escreve muito bem já todos sabemos. Pode-se não gostar de fantasia, pode-se não gostar de histórias em mundos medievais mas é incontornável: Escreve muito bem. Posso afirmar que o volume anterior me cansou um bocadinho e daí ter adiado a leitura deste número 6, ou seja a 2ªparte do terceiro livro. Fiz mal. Até agora esta é a melhor parte da história. Muito se passou neste livro que deixou portas abertas para novos desenvolvimentos e novas personagens. Muita emoção! Neste 6º volume o autor volta a ter o leitor nas mãos. Gosto muito de como ele consegue manipular as nossas opiniões e as personagens que gostamos mais ou menos. É bastante corajoso em matar personagens importantes e deixar-nos estupefactos quando o faz. Ficamos presos ao fio da história e a todas as suas vertentes. Lembrem-se que este livro é sobre uma guerra. A guerra dos tronos e do poder. E nada como o poder traz ao de cima o que há de pior no ser humano. De leitura obrigatória! (mas leiam os volumes anteriores primeiro)

Volume 6 na edição portuguesa.
( Livro 3 - 2ª parte no original)

sábado, agosto 24, 2013

Some Flowers

Este ano, quando estive em Inglaterra e visitei pela segunda vez o jardim de Sissinghurst, pertencente a Harold Nicolson e a Vita Sackville-West, ambos já falecidos, comprei este pequeno livro numa feira por ser um bonito livro e por ser da autoria da proprietária do jardim onde eu tinha estado dias antes. Eu já sabia que Vita Sackville-West tinha sido uma famosa escritora inglesa e que tanto escreveu romances como poesia e também artigos de jardinagem no jornal 'Observer'. O que eu não sabia era que este pequeno livro sobre flores era uma obra de tão grande beleza. A escritora refere no prefácio que é muito difícil escrever sobre flores e que só descobriu esta verdade quando tentou escrever sobre flores pela primeira vez. E este livro, onde escolhe vinte e cinco flores para retratar com as suas palavras, foram os seus primeiros passos na escrita sobre jardinagem. A escritora publicou depois mais alguns livros sobre o mesmo tema e três volumes com os seus artigos do 'Observer'. E o que torna este livro tão bonito são mesmo as palavras de Vita Sackville-West. Cuidadosamente escolhidas, com muito bom gosto e numa narrativa quase poética, a autora fala-nos sobre estas flores por ela escolhidas, pela simples razão de que, como ela própria as caracteriza, são flores que os pintores deveriam ter prazer em pintar. E este livro, editado inicialmente em 1937 com fotografias a preto e branco, foi lançado numa nova edição em 1993, mas desta vez ilustrado com 27 gravuras do aguarelista Graham Rust. É esta edição que tenho e que aconselho vivamente a quem goste de uma bonita leitura sobre 'Algumas Flores'.

sexta-feira, agosto 23, 2013

Elysium

Gostei bastante da história apesar de ser mais um filme apocalíptico sobre o futuro do nosso planeta e da humanidade. É do mesmo realizador do 'District 9' e nota-se. O mundo é muito semelhante. Os filmes até poderiam estar 'fisicamente ligados'. É estrelado por Matt Damon e Jodie Foster em campos opostos. Acho mesmo que não chegam a contracenar. Para mim, o que me prendeu mais foi mesmo a história. A violência, característica daquele realizador, não me agradou especialmente. Como alguém disse, 'mostra tudo, não deixa espaço para a imaginação'. Mas é um bom filme de acção e ficção científica. Vão ver.

sábado, agosto 10, 2013

A Gaiola Dourada



Um filme divertido com um bom grupo de actores (portugueses, luso-franceses e franceses) de onde se destaca a Rita Blanco, que gostei muito, uma Maria Vieira, muito igual a ela própria e um Joaquim de Almeida que achei um tanto apagado/deslocado como o pedreiro José. Entretanto o que vence é a história e a realização de Ruben Alves, a música de Rodrigo Leão e a fotografia.
É um filme bonito, 'lavadinho', bem feito, Com um enredo que balança numa corda bamba deixando o espectador curioso. Tem diálogos muito bem escritos e situações bastante caricatas e divertidas. Não é um filme para rir a bandeiras despregadas, é um filme de sorrisos e também de emoções, que chama um bocadinho ao patriotismo. Tem momentos que fazem lembrar os saudosos filmes portugueses dos anos 50 que todos já vimos centenas de vezes, sabemos alguns diálogos de cor e fazem parte de nós.
Espero sinceramente que este também fique na memória de muita gente, pelas melhores razões.
Um bom divertimento. Um filme de onde saímos bem dispostos.


sexta-feira, agosto 09, 2013

O Feiticeiro e a sombra

São quatro estrelas pequeninas as que dou a este livro. Se fosse possível no 'goodreads' daria 3,5. Devo dizer que gostei bastante mas como as expectativas eram grandes por momentos fiquei à espera de mais. Mas gostei bastante da história e irei certamente ler os restantes livros. Tendo sido este livro escrito em 1968, nota-se que inspirou muitos escritores para as suas obras. Será com certeza um livro pioneiro no género da fantasia, nos mundos mágicos de feiticeiros e dragões. O mérito é da escritora Ursula K. Le Guin que, nessa altura, teve imaginação para criar o fantástico mundo de Terramar e os seus personagens.


terça-feira, julho 23, 2013

Our life in Gardens



A leitura deste livro deu-me um grande prazer e, quando terminei, foi como se tivesse novos amigos e conhecesse o jardim de North Hill, situado no frio estado de Vermont, nos Estados Unidos. Os autores são definitivamente apaixonados por plantas e jardinagem e assim, não é difícil cativar quem tenha a mesma paixão. E escrevem muito bem, numa linguagem acessível, informativa e por vezes cheia de humor.
Será, com certeza, um jardim a visitar se voltar aos Estados Unidos. Para já, quero 'regressar' ao jardim lendo mais algumas obras destes autores. (Infelizmente Wayne Winterrowd faleceu em 2010).

quinta-feira, julho 18, 2013

Hyde Park on Hudson

Podia ter sido um filme bonito. Mas não foi. A história tinha potencial, mas foi mal contada. Com mau gosto. Parece a história da Monica Lewinsky mas com outro presidente, numa outra época. Gostei da fotografia e dos cenários mas não do filme em si.
Gostava de saber se houve uma intenção em fazer este filme. Será que foi conseguida?
Para mim, não gostei da história.


segunda-feira, julho 08, 2013

Despicable Me 2


Não fui ver o GRU MALDISPOSTO 1 mas fui ver este só para me enfiar numa sala de cinema com uma boa temperatura e onde pudesse assistir a um filme ligeiro e que não me desse muito que pensar. Fomos ver a versão dobrada em português e em 2D, sem grandes expectativas!

E não é que me fartei de rir??

Mas não com o GRU nem com a história em si do filme, que não deixa de ser engraçada, mas sim com o batalhão de 'mínimos' que o sr. Gru tem em casa como ... empregados? Bem, não sei. Sei que foi um golpe de génio a criação destes pequenos seres amarelos de jardineiras de ganga, sem nariz, praticamente sem cabelo e com óculos redondos para os seus um ou dois olhos, conforme o indivíduo. Estão muito bem feitos, muito expressivos e muito engraçados! Tem um sentido de humor muito inocente, são mestres no disfarce e têm um vocabulário, digamos que... incompreensível!

Roubam totalmente o filme.

De resto as restantes personagens estão bem. O filme está muito bem feito, bem desenhado, com efeitos lindíssimos. A dobragem também está muito boa. Parabéns ao Nicolau Breyner e à Rita Blanco. Mas do que eu gostei mesmo, foi dos mínimos (minions en inglês).

Vão ver!!







sábado, julho 06, 2013

RIO DAS FLORES



Não sabia que ainda se escreviam livros assim. Adorei. Quero dar mais estrelas... posso? Pergunto-me porque é que não li este livro há mais tempo? Há com certeza alturas para ler certos livros e este foi o momento certo para lhe pegar, após vários anos a aguardar na minha estante! Sendo o autor uma pessoa mediática e cujas opiniões são conhecidas, adorei saber que da pessoa de Miguel Sousa Tavares existe uma sensibilidade que nos seus comentários não nos é revelada. As personagens são muito boas, muito reais e bem desenvolvidas. A situação política desde a queda da monarquia até ao final da segunda guerra mundial são bem descritas e sem se tornar cansativa. Uma verdadeira lição de história, dando-nos o escritor opiniões divergentes na ficção, sobre o que aconteceu na realidade. Mas o que mais gostei foi da história, dos ambientes, alguns que reconheço, e as teias que se formam entre as personagens, que têm algo que havia naquela época e que se perde com o avançar dos tempos. É um romance nostálgico e delicioso de ler. Terminei ontem e tenho já saudades daquelas 'pessoas'. O que é que esperam para levar esta história para o écran? Este é o primeiro livro que li do autor mas vou, com certeza, ler mais.

quarta-feira, junho 19, 2013

Quartet


Um filme emocionante na estreia de Dustin Hoffman como realizador. Um filme de actores, dirigido por um actor. Terá feito a diferença? Um cenário lindíssimo como há tantos na Inglaterra com um leque de personagens riquíssimas magistralmente interpretados por actores que já não têm nada a provar pois são mestres da representação. E por fim, uma bonita história sobre a vida e as pessoas. Com momentos tristes, uns toques de comédia e muita música. Como a vida. Um filme bonito para ver e ser levado a sério.

segunda-feira, junho 17, 2013

Now You See Me



Mestres da Ilusão. Não há quem não goste de um bom truque de magia. Uma boa história, bem contada e com bons actores e personagens. 
Um filme de entretenimento que nos agarra nas primeiras imagens e que nos revela alguns truques, ou talvez não. Completamente original. E com um final inesperado.
Um naipe de actores de cinco estrelas, tanto os principais como os secundários.
Gostei bastante!

O Jardim Secreto


Para gostar deste livro é preciso baixar as guardas da crítica e lê-lo com um sorriso nos lábios e a inocência de uma criança. Foi escrito em 1911 como um conto para jovens e deve ser lido como tal: um conto, datado,escrito para jovens do início do séc. XX. Eu li-o há muitos anos, em criança, numa versão mais curta e com gravuras. Entretanto vi a adaptação ao cinema e resolvi agora ler a obra completa porque tinha ficado na minha memória. É uma história que parece simples, mas que tem muito que se lhe diga. A forma como está escrita é um bocadinho básica e a história tem algumas falhas mas a essência do conto, saibamos nós descobri-la, está lá, bem explicada, muito actual e adaptável aos dias de hoje. Talvez muita gente não se reveja nestas personagens mas a criança que fui e o adulto que sou hoje tem muito daquelas crianças e das suas descobertas. É um clássico. Aconselho a sua leitura, especialmente se gostam de natureza e jardins!

quarta-feira, junho 12, 2013

Star Trek Into Darkness


Fantástico. Há muito tempo que não se via um filme de ficção científica tão bom. Com uma boa história. Muito bem feito. Com muito bons actores. E com uma narrativa que nos prende ao écran desde o início até ao fim. Não queremos pipocas, não temos sede, nada. Queremos é ver o que acontece com o desenrolar da acção.
É claro que tem as suas batalhas em que os heróis se safam no último micro-segundo. É claro que tem explosões e extraterrestres estranhos. Mas tem tudo em quantidades que bastem, sem ser demasiado, sem virar uma fantochada. 
E tem as personagens humanizadas, com sentimentos que não se viam nas antigas séries Star Trek. Torna a tripulação numa família e revela-nos detalhes que gostamos de saber sobre os personagens que já conhecíamos, sobre eventos que já tinham acontecido. 
Está muito bom. Um filme a não perder para os amantes de Ficção Científica e fãs da Star Trek. 

terça-feira, junho 11, 2013

Epic - O Reino Secreto



Depois do trailer com a música dos Snow Patrol eu tinha ficado com grandes espectativas. No geral desiludiu-me um bocadinho, ou melhor, esperava mesmo muito mais.
O filme não está mau, pelo contrário, está muito bem feito, divertido, com imagens lindíssimas, mas a história ficam aquém do que eu esperava. É uma história que já foi contada. Com algumas diferenças mas não é novidade.
E os filmes de hoje em dia não podem passar sem batalhas, velocidade vertiginosa e violência? Mesmo para contar uma história de pequenos seres que vivem na floresta? 
Mas merece ser visto. A minha desilusão é porque eu já vi muita coisa.
P.S. Adorei a Lesma e o Caracol.

sábado, junho 08, 2013

O Aroma das Especiarias



Depois de ter lido muitos livros desta autora, confesso que andava um bocadinho desiludido com as suas histórias. Tanto que não li os 'Sapatos de Rebuçado', apresentado como a 'continuação' do conhecido romance da autora, 'Chocolate'.
Este 'O Aroma das Especiarias', cujo título original seria, traduzindo à letra 'Pêssegos para o senhor padre-cura' é, no entanto, um bom regresso à pequena aldeia francesa de Lansquenet-sur-Tannes, oito anos após 'Chocolate'. Este livro está publicitado como o nr. 3 da série.
A história está interessante, e é sobre os choques entre as sociedades cristãs católicas e muçulmanas reflectidas nas personagens do romance, que são bem construídas, com alma.
A história e narrada a duas vozes, a de Viane e do padre cura, que não se deram muito bem no primeiro livro mas que, por circunstancias diversas, unem agora as suas forças em prole da comunidade.
Gostei bastante. É um livro que apela aos sentidos, com o soprar do vento, os aromas, os pêssegos, as especiarias e... o chocolate.

quinta-feira, junho 06, 2013

19º Aniversário

E assim se comemora o 19º aniversário de uma relação.

Há dias eu e o meu companheiro fizemos 19 anos de vida em comum. Ele lembrou-se. Eu não. Fomos jantar fora, ele a comemorar uma coisa e eu outra, sem sabermos. Passados dois ou três dias...

... mas é melhor eu começar pelo princípio.

A 29 de Maio fizemos os 19 anos juntos, mas nesse dia o meu companheiro também se despediu do emprego actual pois teve um convite melhor. Ele estava nervoso porque tinha que ir falar com os chefes e eu estava nervoso por aproximação. Enfim. Eu estou sempre nervoso.
Ele lá se despediu e ficou claramente aliviado e eu aliviado com ele.
À tarde mandei uma mensagem a dizer para ele pensar em qualquer coisa para o jantar (normalmente sou eu) porque eu tinha coisas a fazer.
Ele respondeu-me também por SMS que íamos jantar fora porque era um dia para celebrar. Ele a celebrar o nosso aniversário e para mim, celebrar o despedimento dele.
Fomos jantar a um restaurante chinês que gostamos e no final ele foi pagar e quando veio mostrou-me a factura e o valor era 19 euros e qualquer coisa. Ele a mostrar a coincidência do valor ter sido 19 euros na comemoração do 19º aniversário e eu respondi 'pois é a crise' (estava um ou dois euros mais caro do que costumava ser). Ele estranhou ou não ligou à minha resposta e pronto, lá fomos para casa.
Passados dois ou três dias eu dou pela data já ter passado e digo-lhe 'Este ano nem nos lembrámos do nosso aniversário, a ver se para o ano que são 20 anos não nos esquecemos.'...
E ele: 'Estás parvo? Então não fomos jantar ao chinês?'.
Em resumo, fomos jantar, mas cada um por uma razão diferente.

É isto que acontece quando se está junto há quase 20 anos. Umas vezes nem precisamos falar, outras vezes mais vale esclarecer as coisas. O que nós nos rimos!!

Experiência interessante

A partilha com alguns amigos e leitores que estiveram comigo na Feira do Livro de Lisboa.



quinta-feira, maio 16, 2013

Flavia de Luce e o Mistério do Bosque de Gibbet



Alan Bradley escreve de forma brilhante e Flavia de Luce é uma personagem fantástica e muito bem construída. A sua sabedoria, os seus valores e a sua relação com os outros está muito bem conseguida. Todo o ambiente de uma pequena aldeia inglesa o início dos anos 50 está muito bem retratado.
Este segundo livro dos mistérios de Flavia de Luce tem uma história bem imaginada e começa com a chegada de um misterioso casal de artistas de teatro de marionetas. Estariam ali por acaso ou haveria uma outra razão? Flavia vê-se envolvida num caso de assassínio e não descansa enquanto não consegue resolver o mistério do bosque de Gibbet, onde vive Meg, a louca, onde o sr. vigário se despiu, onde existe uma plantação de cannabis e onde o jovem Robin foi encontrado enforcado por Dieter alemão prisioneiro de guerra amante de literatura inglesa.
Uma boa história com personagens interessantes e contada brilhantemente com um humor sarcástico e inteligente. Muito bom! 4,5 estrelas.

terça-feira, maio 14, 2013

Iron Man 3


Vi o primeiro filme, não vi o segundo e lá fui ver este terceiro. Confesso que estes filmes de super-heróis são, para mim, filmes de pipoca. Que se vê enquanto se esvazia um balde de pipocas e outro de Pepsi. Enfim. A história tem uma moral. Não deixe ninguém à espera ou não falte a um encontro, especialmente se este foi marcado por si porque a pessoa com quem marcou o encontro pode tornar-se o seu pior inimigo e nunca se sabe os truques que um inimigo pode ter na manga. Muita destruição, muita porrada, o homem - mesmo sendo de ferro - deve ter ficado cheio de nódoas negras. Acho que quando terminou, até a mim me doía o corpo. É que EU não sou de ferro.
Saliento a personagem do vilão interpretada pelo Ben Kingsley. Fantástico e sempre surpreendente.
De resto... pura diversão e entretenimento sem necessidade  de um IRON MAN número quatro... please!

quarta-feira, maio 01, 2013

O Colégio de Todos os Segredos


Uma história de mulheres e dos seus segredos mais (ou menos) importantes. A diferença entre o que acontece e como as histórias são contadas e 'remontadas' para atingir um objectivo. Mas não é essa a história da igreja católica?
Um colégio de freiras é criado e a sua história fica envolta em brumas da imaginação da madre Ravenel transposta para uma peça de teatro tradicionalmente representada pelas alunas do 9º ano. As relações entre as alunas, as mães e as freiras. Os jogos de ódio e sedução entre elas que as marca para sempre. As memórias que ficam e queimam. E ainda a estátua inacabada da 'Freira Vermelha'.
São várias histórias que se entrelaçam, em várias épocas da vida das freiras e alunas do colégio de Mount St. Gabriel.
Gostei de ler estas histórias que são interessantes e estão bem contadas. A escritora falha só na estrutura deixando o livro sem um final merecedor desse nome. Tendo estudado num colégio de freiras católicas, revi alguns pequenos episódios com interesse. No meu caso, talvez essas freiras e o meu colégio tenham feito de mim  o ateu que sou hoje.
Interessante.

quarta-feira, abril 24, 2013

Oblivion - Esquecido


Outro filme que tem o mesmo ponto de partida que o 'The Host'. A vida no nosso planeta após um acontecimento catastrófico no futuro.
Gostei muito da história. Surpreendeu-me. Até gostei do Tom Cruise e não é um dos meus actores favoritos. O guião está muito bem escrito assim como os efeitos visuais.
Um filme a ver para quem gosta de Ficção Científica.
E até a tradução do nome 'Oblivion' para 'Esquecido' faz muito sentido. Vão ver.

terça-feira, abril 23, 2013

The Host


Gostei muito. Adorei a história. Bem contado, com bonitas imagens e uma linda banda sonora.
Se ainda não viram, vão ver.  Os atores principais são todos, para mim, desconhecidos, mas gostei de ver o William Hurt e outros secundários.
De uma outra forma pode debater-se se existe a 'alma' separada do 'corpo'. Muito bonito.



domingo, março 24, 2013

Oz, The Great and Powerful


Nem grande nem poderoso. De facto, uma imensa fantochada com pouco interesse a nível de história. Bruxas más pouco convincentes, bruxa boa, assim-assim, o mágico bem retratado mas sem uma história interessante que apoiasse a personagem.
Cenários e efeitos especiais interessantes mas nada de espectacular.
Não percebo toda a fama que o filme tem vindo a ter. Aborrecido.

quinta-feira, março 21, 2013

Um livro com o meu nome na capa


É verdade. Escrevi um livro sobre uma das minhas paixões - as orquídeas. Foi editado pela DINALIVRO EDIÇÕES e foi lançado no passado dia 16. Não é ficção, não é um livro científico. É um livro sobre orquidofilia como hobby, sobre orquídeas e o seu cultivo no nosso país. 
Foi um livro bastante trabalhoso, especialmente porque foi escrito numa fase menos entusiasmante da minha vida. Mas é um sonho de há muitos anos que se tornou realidade.
Agora está por aí... solto. À venda pelas livrarias e sabe-se lá mais por onde. Espero que faça parte de muitas estantes de amantes de orquídeas e que seja apreciado!

sábado, março 09, 2013

Histórias de São Francisco


Apesar de ter visto a série de televisão há muitos anos, foi com bastante interesse que li o primeiro volume das HISTÓRIAS DE SÃO FRANCISCO e irei, com certeza, regressar à cidade e às suas histórias e aos seus personagens muito caricatos e interessantes.

O livro está escrito de maneira muito simples. Com capítulos curtos, como se fossem cenas de televisão. Deve ter sido muito fácil fazer a adaptação para a série de TV.
Estes livros são livros de culto por terem sido uma 'pedrada no charco' quando foram escritos, nos anos 70. É claro que as histórias retratam uma época de grande liberdade sexual, antes da SIDA. Teriam hoje sido escritas de outra forma? Uhm... talvez.
Este livro é muito bem disposto. Dei umas boas gargalhadas à custa das personagens e das situações criadas. Para quando um filme?

quarta-feira, fevereiro 20, 2013

As Horas Distantes


Deste livro só não gostei da capa. Não percebo como é que as editoras escolhem capas tão pouco a ver com as histórias.
Felizmente a história é muito mais interessante que 'o embrulho'.
A autora sempre nos brindou com histórias interessantes mas neste livro, particularmente, gostei da história, cheia de segredos, das três irmãs e do castelo de Milderhurst. As personagens principais são muito interessantes, as restantes podiam ter sido mais trabalhadas. Tinham potencial para isso. Eu queria mais. Foi um livro marcante. Que li muito lentamente, ao passo do que acontecia no castelo. Fiquei com pena de ter terminado.

quarta-feira, fevereiro 13, 2013

Hansel e Gretel


Como pegar numa história de fadas e transforma-la num filme com muita fantasia, violência e armas? Aqui está o resultado. Não me cativou apesar de alguns bons actores mas ainda com provas para dar. Entretenimento para quem gosta deste tipo de filmes. Uma história medieval moderna com bruxas muito góticas e muitos efeitos especiais. Um filme que não vai fazer história. 

terça-feira, fevereiro 12, 2013

Hitchcock


Este filme é uma história de actores e o verdadeiro show está mesmo em ver como os grandes actores Anthony Hopkins (Hitchcock), Helen Mirren (Alma Reville), Scarlett Johansson (Janet Leigh), Toni Colette (a secretária), James d'Arcy (Anthony Perkins) representam papeis de outros actores transformados em personagens. Um filme visualmente muito limpo e bem conseguido. Uma história da história de hollywood e de um filme que ficou famoso por uma cena. Um filme para cinéfilos, principalmente. Eu gostei.

terça-feira, janeiro 15, 2013

A Linguagem Secreta das Flores


Muito boa estreia para a escritora Vanessa Diffenbaugh. Se quiser resumir muito o livro a um tema, diria que este livro é sobre a maternidade. Não só a maternidade natural, mas também a maternidade pela adopção e o que é ser mãe. Mas assim estava a tirar muito desta história muito bem contada. Por vezes estranha, mas sem deixar de nos interessar.
Vitória foi abandonada à nascença e passou toda a sua vida de um lar para o outro sem nunca conseguir aceitar uma família como a sua. As decisões que tomamos definem a nossa vida e Vitória consegue escolher sempre os caminhos errados. Com Elizabeth aprende a linguagem das flores e mesmo com todas as opções erradas essa parece ser a forma de comunicar que pode ajuda-la a seguir e a aceitar outros na sua vida. Uma boa história bem escrita e estruturada. Aconselho a leitura, especialmente a quem gostar de flores!