quarta-feira, novembro 19, 2014

Maze Runner - Livros 2 e 3



Terminei a trilogia MAZE RUNNER com o segundo livro, PROVAS DE FOGO, e o terceiro com o título de A CURA MORTAL.

Depois de ver o filme a nossa imaginação muda automaticamente, fisicamente os os personagens são os do filme e já nada há a fazer. Como não gostei muito da adaptação ao cinema do primeiro livro e porque o tinha lido há tão pouco tempo, foi a história original que ficou na minha cabeça.

Gostei de ler ambos os livros apesar de continuar com uma certa sensação de irritabilidade ao longo dos livros, como aconteceu no primeiro, pelo que não é dito e pelo adiar das explicações. Também é verdade que os personagens são adolescentes e sabemos como os adolescentes podem ser "aborrecidos"...

No segundo livro, AS PROVAS DE FOGO, descobrimos mais um pouco sobre o mundo e o que lhe aconteceu mas surpreendentemente o jogo não terminou e os personagens vão ter de passar por uma série de provas. Algumas novas personagens são-nos apresentadas. Se essas provas são úteis para alguma coisa, nunca vamos descobrir. Coisas da ficção científica e da cabeça do autor. Só nesse aspeto o livro falha um bocadinho mas se entrarmos no jogo e na ficção, tudo é possível e o livro lê-se de seguida pois a curiosidade do que vem a seguir persegue-nos durante todo o livro.

E é essa curiosidade que continua a fazer das suas pelo terceiro livro, A CURA MORTAL. As provas acabaram, o objetivo para ter sido atingido, a CRUEL tem só mais uns testes a fazer com os personagens do labirinto. Mas as perguntas e a falta de confiança é muita e divide o grupo. O terceiro livro é uma corrida para encontrar respostas. Muitas delas nunca nos são dadas, o que me irrita outra vez, mas o autor descobre uma saída airosa para toda aquela embrulhada. Convincente e satisfatória.... uhmmm ... não. Mas não estragou toda a teia de histórias que se tinham formado ao longo dos três volumes. Valeriam a pena ser 3 volumes? Para mim não. Há alguma repetição e a história parece "esticada" até ao ponto de saturação. O que nos mantém agarrados ao livro é, mais uma vez, a curiosidade e a acção que não nos deixa descansar. 

São livros interessantes com imaginação e talvez a o público alvo não seja propriamente a minha faixa etária. Mas diverti-me a ler e aconselho a leitura. Não sei se serão muito agradáveis de ver no cinema pois eu não sou um fã da série "Walking Dead"...  

segunda-feira, novembro 17, 2014

Interstellar


O que dizer sobre o muito esperado INTERSTELLAR... desilusão é a primeira palavra que me vem à cabeça. Talvez tivesse demasiadas expectativas pelas criticas que ia lendo superficialmente. O filme tinha grande potencialidade para ser uma história muito interessante mas no final falhou no seu mais essencial: as explicações.
Aconteceu a mesma coisa com o filme CONTACTO, há alguns aninhos em que a Jodie Foster era a astronauta de serviço e também com o mais novo Matthew McConaughey.
O filme foi uma total surpresa. Não sabia praticamente nada da história, tinha visto o trailer mas esse, felizmente pouco desvendava - e muito bem. Por isso fiquei entusiasmado com toda a história nas duas primeiras horas. Depois a história sai da ficção científica e entra no mundo da Alice no país das maravilhas e estraga tudo o que tinha sido construído até ali em termos de acção, conteúdo e credibilidade.
Os actores estão muito bem, um elenco muito bom. Gostei bastante de ver o Matt Damon, que não fazia ideia que entrava. Os efeitos especiais estão também bem feitos, apesar de depois da Sandra Bullock ter estado no espaço já nada ser uma grande novidade nesse campo. O que falhou foi mesmo a história, que está para lá do plausível mesmo dentro da ficção científica.

Aconselho a irem ver. Mas este não é, de certeza, como já lhe ouvi chamar... o filme do ano!

quarta-feira, novembro 05, 2014

Correr com Tesouras



Um livro que se lê bem, interessante e divertido sobre o crescimento de um rapaz numa família completamente disfuncional e desregrada. Para mim, um virginiano certinho que gosta da ordem, fez-me uma certa confusão o caos que reinava no círculo de família e amigos do rapaz. Para mais sendo este um romance autobiográfico. Confesso que me stressou em certas partes e que me diverti em algumas situações mais hilariantes. Resumindo, é uma boa leitura e vou, com certeza, ler mais deste autor.
Soube que já foi adaptado ao cinema. Vou tentar ver. 

quinta-feira, outubro 16, 2014

A Queda dos Gigantes



Que este senhor sabe escrever, é um facto. A narrativa flui, as personagens são interessantes, complexas e com conteúdo. A maneira como a história nos vai sendo apresentada é muito cativante sendo por vezes impossível pousar o livro. Gostei bastante deste primeiro volume da trilogia O SÉCULO. É uma autêntica aula de história e de cultura geral, para além do enredo das personagens fictícias que se relacionam com algumas persongens históricas.

O único facto que me desiludiu um pouco não teve a ver com a história nem com o autor ou as suas personagens. Tem a ver com o meu pouco interesse por política e é verdade que este livro, com esta temática, tem muitas explicações sobre política, sobre a guerra e relações politicas entre os países no conflito da primeira guerra mundial. Essas partes foram um bocadinho aborrecidas para mim mas felizmente eram bem alternadas com a ficção, que me interessou principalmente.

Aconselho a todos a leitura deste livro. Eu já tenho o segundo volume preparado para ler. Não se deixem assustar pelo tamanho do livro. Lê-se muito bem e quando damos por isso estamos a terminar. Boas leituras.

quarta-feira, outubro 15, 2014

A Rainha da Neve


Infelizmente uma completa desilusão. Acho mesmo que vou desistir deste autor até me lembrar deste fiasco. Personagens que parecem pairar na história e não fazer parte dela. E a história é fraca e desinteressante sem despertar a mínima curiosidade. A narrativa arrasta-se até ao final que não surpreende e nos deixa a pensar "Então mas é só isto?". 
Tempo perdido e que em nada acrescentou à minha vida! 

sexta-feira, setembro 19, 2014

Maze Runner, o filme


Estava um bocadinho ansioso por ver este filme porque li há pouco tempo o livro e adorei toda a história escrita por James Dashner. E gostei do filme. Os efeitos especiais estão muito bons. Gostei de ver a clareira, o labirinto e restantes cenários. Nunca é igual ao que imaginamos.
Como também não é igual a história. Segue as linhas gerais mas é  baseado no livro, não é uma adaptação fiel. Assim, acredito que quem não leu o livro vá apreciar mais o filme do que quem leu e ficou fã dos livros. É dificil não notar as diferenças nos conteúdos e nos pormenores. Não está melhor nem pior. Está diferente. Fico sempre com pena e não percebo o porquê destas alterações. A linha condutora é a mesma, as personagens são as mesmas, chega-se ao mesmo ponto no final... então não percebo o porquê de reescreverem o que já estava escrito. Acho uma falta de respeito pelo escritor.
Mas não desanimem, vão ver o filme. Está muito bom. Muito misterioso, diferente, arrojado, faz-nos saltar da cadeira algumas vezes e ficamos a querer mais... 
A quem gostar muito... leiam os livros. Estão melhor, mais lentos e com mais detalhes interessantes para explorar. Posso dizer que é mais... labirintico!!


quinta-feira, setembro 18, 2014

The Giver, o Dador de Memórias


Adorei este filme. É uma história hipotética daquelas de " e se...", que dão que pensar. Mas é uma história bonita, bem contada e que mostra como não muitas vezes não damos o valor à vida que temos e que a história da humaninade é importante. Ninguém pode viver só o presente.
Bom actores, entre eles a Meryl Streep, que é logo uma mais valia para qualquer filme. Quanto à história, só vendo. Não lhes quero tirar o prazer de a descobrirem.
Aconselho-vos a irem ver este filme. Fiquei com bastante curiosidade de ler os livros.
E a banda sonora é muito boa também. O tema dos OneRepublic 'Ordenary Human' é fabuloso.

 

Livros... para serem lidos

Desde há uns dois ou três anos que perdi aquela coisa de guardar livros depois de lidos. 
Será da idade? 
Deixei de me preocupar em guardar livros que li e que sei que não lhes vou pegar outra vez. Tenho uma boa estante a abarrotar mas de vez em quando faço limpezas e ofereço ou vou entrega-los a um alfarrabista de Benfica, perto da minha casa. Não tenho filhos, os meus sobrinhos quando forem grandes não vão querer saber destes livros para nada... prefiro oferece-los para serem lidos. Um livro é para ser lido, não é para estar na minha estante, triste, por inactividade.
Não tenho muito para ler, vou comprando à vendida que vou lendo e como sou um slow reader... Até porque tenho uma amiga que vai comprando também e vamos emprestando um ao outro.
É claro que há aqueles que não dou e nem empresto... esses estão na estante, prontos para serem lidos, relidos, consultados, cheirados e adorados, página à página, até se desmembrarem... mas mesmo assim... são os meus tesouros...

quinta-feira, setembro 04, 2014

LUCY


Gostei bastante deste filme, que, apesar de ficção, nos leva a pensar no poder que o nosso cérebro tem, ou poderá ter. Gostei bastante do argumento, dos efeitos especiais e das interpretações do Morgan Freeman e especialmente da Scarlett Johansson. 
Aconselho a irem ver.

quarta-feira, agosto 27, 2014

Maze Runner - Livro 1



Um livro estranho. Com uma história estranha mas interessante. Escrito com muita imaginação e de modo a prender-nos logo desde o início. O autor manipula-nos com a nossa curiosidade, de capítulo a capítulo, acompanhando a personagem principal, Thomas. Um peão num jogo de morte com um labirinto e monstros horrendos. E a curiosidade ficou, claro, para o que se irá passar no próximo livro. Notas irritantes: as meias respostas dos personagens levam quase ao desespero e as palavras 'inventadas' para substituir palavrões são uma parvoíce. Mas vendo bem, talvez seja preferível essas palavras do que mesmo os palavrões. Um bom livro de fantasia e aventuras.

terça-feira, julho 29, 2014

Chef





Aqui está um filme que me deixou bem disposto. Tem uma história engraçada, que se quisermos analisar tem muito conteúdo na sociedade de hoje, tem um grupo de actores muito bom e o mais importante é que me diverti.
Não é nenhum blockbuster de Verão mas é um filme que aconselho a que vejam.

segunda-feira, julho 28, 2014

A Marca de Todas as Coisas



Uau! Que vida. Que fantástica história e que maravilha ter sido escrita agora em que toda a temática faz tanto sentido para mim. Uma jóia. Termino sem tristeza por ter terminado, o que é raro quando leio um livro assim, mas termino muito mais rico pelo que este livro me deu. Que pena que não foi baseado numa história verídica... Assim teríamos mais para ler e pesquisar sobre a obra e vida de Alma Whittaker.
Que se desengane quem leu e gostou de "Comer, Orar, Amar", esta é um romance de ficção que não terá muito a ver com a outra obra que eu não consegui ler e que, agora por causa deste livro, tenho vontade de dar uma segunda hipótese. Talvez.
Não sei se este livro será amado pelo grande público, mas felizes os que conseguem compreende-lo, esses vão adora-lo. Um gosto por plantas ou botânica talvez ajude.
Há só algumas linhas que eu não colocava neste romance. Não têm grande relevância para a história da maneira crua como estão escritas. São os prazeres sexuais da personagem. Eles estão lá. Fazem parte da vida. Mas não havia necessidade de os escrever tão pormenorizados. Talvez um rasgo de modernidade da autora que eu, pessoalmente, não gostei. Dou-lhe só por isso 4,9 estrelas.

quarta-feira, junho 04, 2014

Divergent


Gostei do filme. Uma boa história. Não li os livros e no início pensei que lhe faltava originalidade mas acabou por me surpreender em alguns pontos. Achei a heroína um pouco fraca para o papel. É uma actriz muito 'normal' para ter sido escolhida para aquele papel. Mas pode ser que me surpreenda.
Vou com certeza ver os próximos dois filmes da série.

quarta-feira, maio 07, 2014

84 Charing Cross Road, o livro

Este livro é delicioso. Conhecia já o filme, que vi há muitos anos e quando vi o livro, sabia que tinha que o ler. Superou as minhas expectativas! Quem gosta de ler e de livros vai adorar. Lê-se tão facilmente que é doloroso termina-lo tão rapidamente.


terça-feira, maio 06, 2014

Frederico, o Grande














Estive no final Março de 2014 em Sans Souci, a casa de Frederico o Grande. Berlim e Dresden, cidades por onde andou, também foram visitados. Ao ouvir a guia a contar-nos sobre o carácter surpreendente e enigmático deste personagem, senti uma grande empatia. Uma amiga tinha lido este livro, que me emprestou na viagem. Gostei imenso de conhecer mais sobre este grande Frederico, tão diferente dos alemães de agora, com uma personalidade tão difícil naqueles tempos conturbados em que não deve ter sido fácil ser-se rei. Terminei este livro, sem dúvida, enriquecido.

segunda-feira, maio 05, 2014

Um quente Agosto

Há algum tempo que não vinha aqui e já tinha saudades.
Agora tenho algumas coisas sobre as quais escrever.

O filme UM QUENTE AGOSTO (Osage County)
Visto há já umas semanas mas ainda marcante pela história e pelas magníficas interpretações do fabuloso grupo de actores e especialmente actrizes. É um filme feito para os actores. Um filme de texto. De diálogo. É um espectáculo observar as interpretações e o trabalho dos actores.
Quanto à história, é uma história negra, negativa e desanimadora. Não deixa por isso de ser interessante mas gostaria que tivesse terminado com um tom de esperança ou, de alguma maneira, mais positivamente. Não termina.
Se a vossa família é estranha e cansativa, vão conhecer esta família e verão que a vossa, comparada com esta, parece um grupo de escuteiros.
Um filme a ver com disposição para isso. Eu gostei.



quarta-feira, fevereiro 26, 2014

An English Room


Cada pessoa tem um lugar que é o seu ninho, o seu canto, a sua toca. Neste livro várias personalidades inglesas partilham o seu 'english room'. Mesmo que este se encontre num outro país e não seja uma divisão tradicional numa casa tradicional. A autora fotografa e as personalidades explicam o porquê. Muito interessante.

terça-feira, fevereiro 25, 2014

The Monuments Men



Gostei bastante. Um bom grupo de actores e uma boa história. Bem contada por George Clooney, que é também o realizador.
Uma história verdadeira que, não fosse este filme, ficaria talvez esquecida ou desconhecida do público em geral.
Pelas razões históricas, é um filme que todos devem ver.

sexta-feira, fevereiro 21, 2014

Philomena



Adorei este filme. A história é cativante e está contada de uma forma muito interessante. Ao longo do filme podemos ir seguindo a investigação de um jornalista que procura o filho de Philomena, dado à adopção há cinquenta anos e vamos descobrindo o que realmente se passou há tanto tempo atrás. Inspirada na verdadeira história de Philomena Lee mas com uma adaptação livre para interessar mais ao espectador, o que gostei mais foi de facto a personagem principal, interpretada magnificamente por Judi Dench ser uma personagem tão rica. Não é só um filme sobre a procura de um filho pela sua mãe, é um filme sobre outros tempos, sobre religião, sobre o poder e sobre fé. E é mesmo o registo sobre a fé e sobre a abordagem da influência da religião na cabeça das pessoas que gostei mais de ver. Por vezes é mesmo assim: Só a fé, ou a ignorância, nos podem salvar. Um filme a ver. 5 estrelas.

terça-feira, fevereiro 11, 2014

Uma Casa de Família


Nesta 'moda' literária em que, por causa da série televisiva Downton Abbey, romances passados na mesma época aparecem como cogumelos no Outono, há como em todas as modas, os livros que ficam e os que se descartam. Há livros para todo o tipo de leitores, desde os romances de cordel para os quais eu não tenho paciência, até aos grandes romances, bem escritos, com personagens interessantes e com estrutura, e com histórias que nos agarram desde o início e que ficam para sempre dentro de nós.
Este primeiro livro de Natasha Solomons é um bom exemplo de como um romance pode ter grande qualidade. A autora sabe escrever, fá-lo de uma maneira brilhante sem ser complexa e dá grande atenção aos detalhes da narrativa, o que nos transporta facilmente para um outro tempo e uma outra realidade.
A história é muito interessante e as personagens muito ricas e verdadeiras. A parte histórica do romance é também muito interessante.
Assim, recomendo a leitura a quem gosta deste tipo de livros, romances de época, passados em Inglaterra no início da segunda guerra mundial. 
É muito, muito bom. Quero ler mais desta autora.

terça-feira, fevereiro 04, 2014

Saving Mr. Banks


Gostei muito deste filme. Pensava que ia achar monótono mas foi impossível. E com este conjunto de actores era impensável. Mas não foi só por aí. A história é muito boa, está muito bem contada e com muito mais do que parece mostrar.
É a história da compra dos direitos de autor da história de Mary Poppins pela Walt Disney, que durou mais de 20 anos de 'namoro' até que ao 'Sim' da autora. Emma Thompson está magnífica como a difícil, chata e insuportavel escritora P. L. Travers e Tom Hanks como o carismático Walt Disney. 
E o filme está bonito, numa bonita época em Hollywood, com uma bonita fotografia e música.
Adorei. Vão ver ao cinema e fiquem até ao fim porque há um 'doce' quando passarem os créditos.
(5*)

quarta-feira, janeiro 29, 2014

Gravidade

 

Assistir a este filme foi um sufoco. É basicamente a história de um pequeno grupo de astronautas que repara uma estação espacial e que são atingidos por lixo espacial que, lhes vai complicar a vida. Parece simples, mas não é. Está muito bem filmado. Os efeitos especiais estão muito bons. E os actores - Sandra Bullock e George Clooney - estão fabulosos. Como deve ter sido difícil e trabalhoso filmar este filme. Gostei bastante apesar da ansiedade que provoca assistir ao desenrolar da história. Vi em 3D e no IMAX, o que ajudou a tornar mais real a agonia dos personagens! É um bom filme. Vão ver no cinema. Em casa não terá o mesmo efeito. (4/5)

segunda-feira, janeiro 27, 2014

Quando o Cuco Chama



Quando o Cuco Chama, de J.K. Rowling pelo pseudónimo de Robert Galbraith. 

E nasceu um novo detective literário: Cormoran Strike. Gostei da história e das personagens. Acho que este detective tem 'perna para andar' (depois logo me dizem se não tenho razão) e acredito que vão aparecer vários volumes com este personagem. Pontos positivos, toda a escrita está muito boa e a descrição tanto do mistério como da sua resolução está muito boa, com personagens muito ricas numa teia bastante ramificada e interessante. Pontos mais fracos, uma certa negatividade em toda a descrição da personagem e nas suas atitudes, parece que a autor quer tornar o personagem mais interessante descrevendo pela negativa o que acontece. Na minha opinião não torna as coisas mais atrativas, pelo contrário. E não descobri o culpado, apesar de estar quase certo de ter descoberto, mas isso não aconteceu, o que é bom. Fico à espera de mais. 4/5

sexta-feira, janeiro 03, 2014

47 Ronin


Este ano não começou muito bem para mim a nível de cinema. O filme foi mal escolhido. Eu nunca gostei da cultura japonesa, de Shogun, Samurais e os seus rituais violentos e os seus suicídios por honra, cabeças cortadas e sabe-se lá que mais. Esta produção da Universal está boa e junta muita fantasia à supostamente história verdadeira dos 47 Ronin. Quem foi comigo gostou, eu é que não tenho o mínimo interessa na temática e tornou-se aborrecido.
E o que é que o Keanu Reeves está a fazer num filme destes no meio dos japoneses todos?... pois não sei, tanto podia ser ele como outro qualquer mas para interpretar um 'mestiço' acho que ficou bem com aquela fisionomia dele. E talvez porque o filme tinha que ter uma estrela de Hollywood para chamar à atenção. Enfim, se gostam de histórias japonesas vão ver!

Há até viagens em que se pode visitar os locais onde a história se passou.

Três estrelinhas!