segunda-feira, novembro 30, 2015

A Rapariga no Comboio



Um livro que se lê muito bem apesar de, no início, eu ter demorado a entrar no ritmo da narrativa. Digamos que este tipo de história não é o que mais me atrai mas como está bem escrito, acabou por ser difícil pousar o livro sem matar a curiosidade de saber o autor do crime. 
As personagens estão muito bem descritas, ambíguas e difíceis, como devem ser num policial. Mas não é nem um pedrada no charco nem um prémio nobel da literatura. Os "dois milhões de cópias vendidos em pouco tempo" devem de ser resultado de uma boa estratégia de maketing. É, simplesmente, um bom thriller policial. Aconselho a leitura para os apreciadores do género.

quarta-feira, novembro 25, 2015

Até ao Fom do Mundo



Este não é um livro com uma narrativa convencional. A história vai-se desenrolando à medida que vamos lendo cartas, emails, relatórios, faxes e outros documentos intercalados pela narradora, a Bee, de 15 anos. É uma história interessante e de leitura cativante. Por vezes cómica e outras quase trágica. As personagens estão bem construídas e sem nos apercebermos, torcemos por elas, criamos laços. É uma história sobre a vida, sobre o que move as pessoas. Sobre a sociedade.
Gostei bastante. Aconselho-vos esta leitura!

segunda-feira, novembro 23, 2015

O Cavalheiro Inglês



Uma boa leitura. Gostei do retrato da época e das personagens, muito bem caracterizadas e muito interessantes, assim como os ambientes e as intrigas onde se inserem. Este livro tem alguns pontos que achei interessantes. Não há personagens boas e personagens más, ou melhor, há, mas as mais interessantes são com certeza as personagens ambíguas que nos desafiam a gostar, ou não, mesmo conhecendo ou suspeitando que nem tudo são rosas na sua vida. 
Depois vem as questões: será que os fins... justificam os modos menos ortodoxos que se usaram para chegar a eles? Dá que pensar... 
Foi a primeira obra que li desta escritora e irei, com certeza, ler mais.