terça-feira, outubro 11, 2016

A Rapariga do Comboio


Um boa adaptação do livro, muito boas representações de Emily Blunt e de Haley Bennet. Uma história de um crime e de pessoas devastadas pela sua infelicidade.
Recomendo!

segunda-feira, outubro 10, 2016

A Invenção da Natureza



Numa altura em que a biologia se misturava com a religião e que as explicações de muitos mistérios naturais eram justificadas pela “vontade e criação de deus”, nasceu o alemão Alexander von Humboldt, um explorador nato com uma curiosidade imensa por tudo o que a natureza lhe mostrava mas não explicava. Nesta fantástica biografia escrita por Andrea Wulf, ficamos a conhecer o personagem Humboldt assim como muitos outros cientistas e pensadores da época que viveram e foram influenciados pelas suas pesquisas nas mais variadas áreas. Humbodt foi o primeiro a ver o planeta Terra como um todo e a interligar muitos fenómenos naturais variados. Numa época em que os cientistas estudavam em livros e laboratórios, Humboldt ia para o campo, viajava e concluía que as plantas, os animais, os fenómenos climáticos, a geologia, os vulcões e mesmo os povos reagiam e eram influenciados uns pelos outros. Nada era estático. Tudo fazia parte da Natureza! Este livro dá-nos também um interessante retrato da sociedade do séc. XIX e uma boa descrição de todos os países, culturas e personagens com as quais Humboldt se cruzou e estudou. Muitas das ideias de Humboldt eram vanguardistas e nem sempre foram bem aceites mas o seu gosto por ensinar e partilhar os resultados dos seus estudos fez dele um dos maiores e mais conhecidos investigadores da sua época. Este livro vem preencher a lacuna que ficou na história e que o tempo fez esquecer. A autora adianta algumas razões políticas para justificar o esquecimento do mundo de Humboldt, da sua vida e das suas obras de importância vital para o desenvolvimento da ciência e da sociedade em geral. Com a leitura deste livro podemos regressar a esse tempo e repensar em tantas questões que hoje, cada vez mais, são de extrema importância. Esquecer Humboldt não é uma opção e a leitura deste livro é um prazer e um enorme crescimento individual. Eu li a versão original, em inglês, mas existe uma tradução e edição portuguesa.

domingo, outubro 09, 2016

Um Caso Tipicamente Inglês




Um policial numa pequena aldeia na Inglaterra pós 2ª Guerra Mundial onde há de tudo um pouco, espiões, uma actriz em retiro, um castelo com os seus típicos caseiros e uma família aristocrata disfuncional cujo patriarca desapereceu há sete anos numa noite de nevão. uma escritora a viver numa torre, um cavalo com personalidade, um herdeiro morto na guerra e muitos mais personagens típicos. Quando um esqueleto aparece debaixo do soalho da capela o desaparecimento passa a crime e com a inactividade da polícia local, só resta ao hospede do castelo a resolução do mistério. Gostei de ler mas por vezes pareceu-me que a autora despacha um bocado a história. não há tempos mais mortos ou descritivos. Pode ser também pelo facto de este livro pertencer a uma série e talvez mais seja mostrado nos próximos volumes. A pontuação correcta seria 3,5 estrelas, mas como o Goodreads não permite, ficam as 4 estrelas pela história que tem potencial para se desenvolver.

sábado, outubro 08, 2016

Casa da Senhora Peregrine para Criancas Peculiares


Uma fantasia muito bonita e bem imaginada, com uma história muito interessante e cuidada onde os actores mais desconhecidos brilham mais do que nomes mais famosos. Mas o que gostei mais foi de todo o ambiente fantástico e a história de certo modo comovente. Um fil de Tim Burton mas como menos exageros do que o que o realizador nos tem habituado em outras fitas. Adorei e quero ler os livros (sei que há pelo menos três publicados). Vão ver!!

sábado, agosto 27, 2016

Star Trek Beyond



Muito Bom! Um universo que sempre nos surpreende. Uma boa história, bons actores e muito bons efeitos especiais! Gosto bastante das ligações entre o passado e o presente da série. Está muito bem imaginado. Ficção Cientifica pura com muitas aventuras! Nem vale a pena dizer mas, se são fãs do género, vão ver.

domingo, agosto 21, 2016

Bridegroom

Um grande murro no estômago...



Agosto em Lisboa

Tenho sempre a sensação que os lisboetas não aproveitam Lisboa. Que vivem cá mas assim que podem, nas férias ou nos tempos livres, escapam para fora da cidade acabando por não desfrutar o que esta cidade linda tem para oferecer aos seus habitantes e que acaba por ser conhecido mais pelos turistas.

Eu não sou assim, talvez por cá em casa estarmos ligados ao turismo ou talvez por eu não ser um lisboeta de nascimento e ter sempre curiosidade de aproveitar a cidade como um turista.

E assim foi, uns dias de férias em Agosto são muito bons para explorar a cidade com amigos que nos visitam. E aqui ficam algumas imagens!! 


Belém 


Mosteiro dos Jerónimos


Arte de Rua em Belém


Palácio de Queluz


Palácio de Queluz


Jardins do Palácio de Queluz


Luz e Som no Terreiro do Paço



No cimo do Arco da Rua Augusta


Selfie com o Tejo atrás!

sexta-feira, agosto 19, 2016

O Amigo Gigante


Um filme que achei engraçado mas que não me cativou. Talvez seja muito infantil, acaba por ser uma sucessão de imagens de animação bonitas e bem feitas mas com uma história assim-assim. Eu sou um apreciador de histórias para crianças mas esta não me tocou. 
Quem chamou a este filme o "ET" deste século não percebeu nada do "ET".

quarta-feira, agosto 17, 2016

STRANGER THINGS

Fantástica! Fabulosa! Imaginativa! Interessante! ...

São tantos os adjectivos que podem classificar esta série de televisão que me deixou agarrado ao écran do Ipad. Pode ser um híbrido dos filmes "Os Goonies" ou "Stand By Me" com um episódio dos "Ficheiros Secretos". Pode ser o que quiserem... desde que vejam. É muito bom!!


segunda-feira, agosto 15, 2016

Me Before You



Eu não costumo ir ver este tipo de filmes, românticos de fazer chorar as pedras da calçada, mas desta vez aconteceu e não me arrependi. A história principal é um romance, com lembranças do "Dying Young" que gostei tanto há muitos anos. O que faz este filme ganhar são os detalhes, as bonitas paisagens e sobretudo os actores que acreditaram no texto e lhe dão vida. A Emilia Clarke está fabulosa (que eu reconheci mas que não me lembrei de onde e depois fiquei espantado com a versatilidade da actriz) e até me fez chorar a rir com três ou quatro saídas certeiras e o restante elenco, Sam Claflin (Jogos da Fome), Matthew Lewis (Harry Potter), Brendan Coyle (Downton Abbey) também muito bons. Se não fosse o elenco seria um filme banal. E no final, se são daquelas pessoas que choram nos filmes... bem, levem lenços de papel. O tema apesar de sério é tratada muito ao de leve sem pretensões de discussões aprofundadas. É uma triste realidade.

quinta-feira, julho 21, 2016

Tarzan, 2016


Fui ver esta nova versão de Tarzan um bocado por arrasto mas não me arrependi. A história está diferente das versões mais antigas deste herói das selvas do Congo. Está fresco, interessante e imaginativo. Fez.me lembrar os livros que li há muitos anos sobre o personagem de Edgar Rice Burroughs.
Os efeitos especiais estão muito bons mas por vezes parece que são usados em demasia, quase aproximando o visual do filme com o de um bom jogo de computador.
Os personagens principais, o Tarzan (Alexander Skarsgard) e a Jane (Margot Robbie) estão muito bem, assim como o maquiavélico Leon Rom (Cristoph Waltz).

segunda-feira, julho 18, 2016

Arquipélago



A escrita do Joel Neto é acolhedora. Tem o gosto de um regresso ansiado, de uma lareira no inverno, de um domingo de chuva. Reconforta-nos como uma canja, quando estamos doentes. Ajuda-nos a buscar boas memórias e a saboreá-las com nostalgia. Gostei bastante. A história é muito completa e tanto o personagem José Artur como todas as que povoam este romance são muito interessantes e complexas, quase como se fossem verdadeiras. É uma história cheia de outras histórias. É sobre os Açores, sobre a ilha Terceira, sobre paixões, sobre a solidão, sobre família, sobre o que nos aproxima e afasta dos outros, sobre o sentido da vida, sobre cães, sobre vacas, sobre rituais, sobre casas e sobre vinganças. É um livro poético, apesar de se tratar de uma narrativa. Casa a história de Portugal e dos Açores com o esoterismo da vida e as lendas de Atlântida. Por tudo isto e muito mais, aconselho a sua leitura. E fico curioso sobre o que o autor nos poderá apresentar a seguir...

terça-feira, junho 28, 2016

A Verdade Sobre o Caso de Harry Quebert




Este romance policial fez-me lembrar e recordar a série de televisão dos anos 90 "Twin Peaks" mas ao contrário de David Linch, o criador da série que teve grandes problemas em resolver os enigmas que criou na série, Joël Dicker fá-lo de maneira brilhante. Gostei bastante da história e lê-se muito bem pois quase não tem pontos mortos nas suas seiscentas e muitas páginas. A história é muito interessante, movimentada e que cria uma certa adrenalina no leitor. As suas personagens estão bem construídas e a pouco e pouco vamos descobrindo mais e mais sobre elas. Parece por vezes que estamos a ler o roteiro de um filme. É uma escrita muito visual, com elementos interessantes e que têm todos o seu propósito. Aliás, tudo neste livro tem a sua razão de ser mas muitas vezes o que lemos não é bem o que pensamos estar a ler. São assim os casos policiais difíceis como este caso de Harry Quebert e Nola Kellergan. E neste caso, ao contrário da série "Twin Peaks", nada ficará por revelar...

quarta-feira, junho 01, 2016

A Vida no Campo



Para quem é um "leitor lento" (sem nada a ver com o facto de ser alentejano) como eu, que gosto de ir saboreando as leituras. Este livro, comprado há dois dias na feira do livro de Lisboa, já está terminado. É um livro fácil de ler pois é composto por pequenas crónicas de uma página, mais linha menos linha, ou pequenos contos, se assim preferirem. Não conhecia o autor, por vezes tenho um preconceito parvo de ler autores portugueses, e o tema chamou-me à atenção porque também sou um moço do campo e apesar de viver (e gostar de viver) em Lisboa há mais de vinte anos, tenho por vezes uns chamamentos para regressar ao campo. Gostei do tema e gostei da capa do livro. E gostei dos textos, da forma como são escritos. Não consegui parar de ler. E um dia de folga foi passado no Lugar dos Dois Caminhos, na ilha Terceira dos Açores. Acho que o livro devia chamar-se "Vida na Ilha" mas concordo que não seria tão comercialmente atraente. E agora tenho que ir ler "O Arquipélago" e talvez os outros romances do autor. E talvez tenha que ir visitar a Terceira um dia destes, porque não conheço. Gostei muito.

domingo, fevereiro 28, 2016

Greentrip Oriente 2 - Dia 1

GREENTRIP ORIENTE II
Diário da viagem - Dia 1
Orquídeas nos Aeroportos

Na realidade o primeiro dia de viagem foi passado entre aeroportos, para quem, como eu, detesta e teme voar, podem imaginar o tormento.
Felizmente a companhia aérea Emirates tem uma razoável seleção de filmes para ocuparmos o tempo. Vi "O Princepezinho" (3 estrelas) entre outros foram um total de 15 horas de voos com algumas horas de espera pelo meio enquanto fazia-mos escalas no Dubai e em Bangkok. O primeiro destino foi Chiang Mai, na Tailândia.
No entanto as plantas, principalmente orquídeas, que íamos encontrando nos aeroportos eram um bom augúrio para o resto da viagem.
(As fotos têm pouca qualidade por terem sido tiradas no Ipad)


Os centros dos tapetes da bagagem estava cheio de Orquídeas.


Arranjo de um corredor no Aeroporto de Bangkok


Tapete rolante das malas em Chiang Rai (Tailândia)


Um bonito arranjo no aeroporto de Chiang Rai (Tailândia)


Um muro verde com orquídeas no aeroporto de Chiang Rai.

sábado, fevereiro 27, 2016

Greentrip Oriente 2

Estive ausente e deambulei por paragens distantes. Que bom é viajar e que maravilha é regressar carregado de emoções, recordações, sensações e reflexões.
É estranho porque ao mesmo tempo que me abre os horizontes, me fecha mais em mim.
O mundo é um lugar estranho. Por vezes belo. O ser humano é fantasticamente complexo, para o bom e para o mau, capaz de coisas extraordinárias pelas razões mais erradas.
Sobreviver é uma luta... mas acho que não nos resta mais nada. Como o fazemos é que faz toda a diferença.

Angkor Wat, Camboja

Angkor Wat, Camboja

Orquídea Arundina graminifolia, no Gardens By The Bay, em Singapura.

Cloud Mountain Dome, Gardens By The Bay, Singapura


Jardim Mae Fa Luang, Chiang Rai, Tailândia

Centro de Elefantes Mae Sa, Chiang Mai, Tailândia